quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Paulo Cunha e Silva - O Porto, a cultura e o país morrem também um pouco..

(foto do jornal Público)

Desculpem revelar aqui a minha ignorância, mas, até ontem, nem sabia da existência de Paulo Cunha e Silva.

Mas depois percebi que não era por acaso,  e que, afinal,  até o "conhecia" muito bem através daquilo de eu admirava na dinâmica criativa e cultural do Porto.

Não o "desconhecia" por acaso porque Cunha e Silva não era homem de se por em bicos dos pés, mas era o homem que trabalhava com amor e quase no anonimato para colocar o Porto na vanguarda da cultura e das artes em Portugal e, porque não dizê-lo, da Europa e do Mundo.

Paulo Cunha e Silva, pela forma discreta como agigantava as suas iniciativas é o símbolo dos muitos "Cunha e Silva" que, um pouco por esse país fora, longe dos holofotes, todos os dias tiram do anonimatos cidades, vila e aldeias onde se constroem projectos culturais, sociais, económicos, científicos, artístico e urbanísticos que ainda nos fazem acreditar na potencialidades deste país,

Embora acompanhando o que por lá se faz, há muitos anos que não passo pelo Porto, mas prometo, como forma de o homenagear,  revisitar em breve  essa cidade para reencontrar, com atenção redobrada, os sinais da passagem de Paulo Cumha e Silva por cá...
Enviar um comentário