terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Os Bonecos do Antero


O Antero Valério nasceu aqui em Torres Vedras, nos idos de 25 de Abril de 1960.Pessoalmente, tive o privilégio de privar desde os meus tempos do liceu com a sua amizade, que se mantém até hoje.Na altura, aí por volta de 1972, dirigi um dos primeiros fanzines de Banda Desenhada editados em Portugal, "O Impulso". Foi então que conheci o Antero que se tornou, desde a primeira hora, um dos membros permanentes da equipa desse fanzine.
Dos cerca de 10 membros dessa equipa ele acabou por ser o único a enveredar pelas artes visuais.
Tendo tirado o curso de Belas Artes, lecciona actualmente numa escola nos arredores de Lisboa. Artisticamente tem-se revelado na Pintura e na Banda Desenhada .
Colaborador habitual do “Barrete”, uma publicação humorística independente do Carnaval de Torres, publicada anualmente, o Antero tem participado em vários projectos editoriais, como ilustrador e gráfico.
É dele o painel de azulejos do terminal rodoviário de Torres Vedras, alusivo ao Carnaval de Torres.
Contudo, foi o seu blog “Anterozóide” que o projectou a nível nacional, graças ao humor dos cartoons aí publicados, que têm como temática a actual política educativa. Não há escola neste país que não tenha nos seus placards os bonecos do Antero.
Recentemente o Antero Valério reuniu alguns dos seu melhore bonecos no livro, por si editado, com o título “Como Se Tornar um Docentezeco” que pode ser adquirido através do seu blog ou nalgumas livrarias do país.
Reúnem -se aí algumas das sátiras mais corrosivas sobre os disparates da actual equipa do Ministério da Educação. Na brincadeira já lhe têm dito que o único defeito dos seus bonecos reside no facto de conseguir humanizar uma figura como a Ministra da Educação…
O único motivo que nos pode levar a desejar uma longa vida para esta equipa ministerial (lagarto! lagarto! lagarto!) é que continue a inspirar os bonecos do Antero.

1 comentário:

zoide disse...

Obrigado pelo texto, Venerando. É engraçado como o "Impulso" fez amizades para toda a vida.
Abraço
Antero