segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O Clone do Sr. Silva falou nas comemorações de um dia fantasma.


Quem ontem falou como Presidente da República nas comemorações do dia 5 de Outubro só pode ter sido um clone do sr. Silva!!!

Em primeiro lugar porque não acredito que o sr. Silva original, o que aprovou a extinção do feriado do 5 de Outubro, desvalorizando o simbolismo da data, tivesse tanta falta de vergonha para falar num acto solene comemorativo dessa data.

Depois porque ao discursar, fez afirmações que só podem ter sido proferidas pelo clone, nunca pelo original, a não ser que este tenha uma grande falta de vergonha e …de memória.

Apelou aquele que, acreditamos,  só pode ter sido o clone do sr. Silva, a uma “cultura de compromisso” entre os “decisores políticos e económicos” .Só pode mesmo ter sido o clone do sr. Silva a fazer uma tal afirmação, poi o sr. Silva, o original, enquanto Presidente da Republica, não tem qualquer legitimidade para fazer um tal apelo, por ter sido conivente com decisões de um governo que, o que mais fez ao longo do seu mandato, foi destruir toda a “cultura de compromisso” construído ao longo de 40 anos de democracia, já que, em democracia, a única base séria para uma “cultura de compromisso” é o respeito por uma Constituição livremente elaborada, pelas leis emanadas de um parlamento livremente eleito e pelos direitos socias negociados em décadas de concertação social. De tudo isto o governo preferido do sr. Silva, o original, tem feito tábua rasa nos últimos anos.

Também só pode ter sido um clone do sr. Silva, e não o verdadeiro sr. Silva, o político de carreira, a denunciar o desprestígio que a actividade pública suscita na sociedade, por “ser vista como um sinal de carreirismo e de oportunismo associado, com frequência, a um percurso de vida inteiramente situado no seio dos partidos”. É que o sr. Silva, o original, foi mentor de uma forma de fazer política onde esta se confundiu com as negociatas e os carreirismos dos amigos e boys por si designados e catapultados para essa mesma actividade pública. O Sr. Silva, o original, é o verdadeiro pai do “monstro”, que apadrinhou a actual geração de políticos carreiristas e oportunistas, associados a um “percurso de vida inteiramente situado no seio dos partidos”.

O sr. Silva, o original, não tem qualquer moral para falar em ética republicana, ele que protegeu e catapultou gente que, hoje, está a contas com a justiça e/ou representa tudo aquilo que é o contrário da tão apregoada ética republicana.

O sr. Silva, o original, devia ter vergonha na cara por, enquanto governante, aquele que teve mais dinheiro à sua disposição, em vez de fomentar o desenvolvimento do país e de construir um país mais igualitário e qualificado, tudo o que fez foi destruir a actividade económica do país e entregar os restos a amigos e apaniguados, que se lambuzaram em fundos europeus até chegar a conta que hoje estamos a pagar.


Por isso não posso acreditar que foi o sr. Silva, o original, que fez o discurso do 5 de Outubro que ontem ouvimos. Só pode ter sido o clone do sr.Silva!!!

Sem comentários: