quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O CROMO (Mais um) DO FMI: Relator do FMI sobre Portugal destituído em Espanha por falsa autoria .



Já se sabia que o famoso relatório do FMI estava cheio de erros, meias verdades e má-fé, tudo “barrado” com abjectos preconceitos neoliberais.


Uma verdadeira fraude paga pelos contribuintes, obedecendo a um único objectivo, servir de base para o programa de destruição do nosso já de si frágil “Estado Social”.


O que ainda não se sabia era que essa fraude, elaborada de forma fraudulenta, passe a redundância, não tinha por detrás simples “técnicos” que se limitaram a escrever um documento encomendado e bem pago, para justificar o programa ideológico do desumano neoliberalismo “passoscoelhista”,  mas verdadeiras fraudes humanas.


O espanhol que fez parte dessa equipa era um aldrabão, que foi agora apanhado em Espanha. Mas mais que um aldrabão, revelou-se um mercenário da ideologia neoliberal. Ligado ao PSOE, defendia, em artigos pagos a peso de ouro, exactamente o contrário daquilo que assinou no documento sobre Portugal, ou seja, diz aquilo que lhe pedem para dizer e escrever, é tudo uma questão de preço. É preciso reconhecer “lata” a tão “ilustre” cromo!


Aguardam-se cenas dos próximos capítulos e mais revelações sobre os broncos mercenários que elaboraram tão abjecto documento.


Relator do FMI sobre Portugal destituído em Espanha por falsa autoria - PÚBLICO(clicar para ler notícia).

1 comentário:

Anónimo disse...

São estas as mulas - sem ofensa para as próprias - que nos governam e nos querem pôr a comer palha!


cidadãindignada