terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Islamitas incendeiam manuscritos únicos em Tombuctu.

Lembro-me de ouvir falar pala primeira vez na importância cultural da cidade de Tombuctu numa disciplina de Estudos sobre História Africana que tive no curso de História.
Li então umas coisas e fiquem espantado e maravilhado com a dinâmica dessa cidade, que já vinha da época medieval.
Aí encontrava-se uma das mais antigas universidades do mundo, para além de a cidade ser caracterizada pela sua arquitectura original.
Foi com indignação que tomei conhecimento, há meses atrás, de que os terroristas da Al Quaeda tinham começado a destruir essa cidade.
Agora,finalmente, a cidade foi libertada pelas tropas francesas, que depararam com um novo crime realizado por essa gente, a destruição de manuscritos históricos e únicos, um crime não só contra a cultura da humanidade, mas também contra a própria cultura islâmica que esses bandidos ignorantes dizem "defender".
Assassinar pessoas é um crime, mas destruir bens culturais devia ser igualmente sujeito à formação de um Tribunal Internacional para julgar os responsáveis por essas barbaridades.

Sem comentários: