segunda-feira, 13 de julho de 2015

O RESPIGO DO DIA : As três lições da crise grega segundo Soromenho-Marques:


Três lições de Xerxes em Atenas

por VIRIATO SOROMENHO-MARQUES

in Diário de Notícias, de 13 de Julho de 2015

“Uma semana depois do esmagador "não" grego, a rebelião foi esmagada. A capitulação de Tsipras, ao apresentar um programa duríssimo, não foi suficiente.

“ Ele terá de regressar ao Parlamento carregado de novas algemas. Tem até dia 15 para aceitar uma austeridade hiperbólica, que envolve o IVA, o mercado de trabalho, mais 50 mil milhões de euros de privatizações, e a derrota simbólica de ver a troika regressar a Atenas. Tudo pode ainda resvalar.

“Berlim mostrou não temer colocar a Europa a ferro e fogo com o grexit, eufemisticamente apresentado como um castigo para cinco anos (como se entrar ou sair de uma união monetária fosse uma brincadeira pueril).

“Este novo sacrifício da Grécia tem, contudo, três lições para quem as quiser aprender.

“Primeira: a zona euro (ZE) não é uma união económica e monetária, fundada na promessa de uma solidariedade política cada vez mais firme entre os seus membros, mas sim um clube de países, organizados pela hierarquia do poder efetivo, competindo pelas boas graças dos mercados financeiros.

“Segunda: Berlim não está disposta a estender os princípios do federalismo (que implicam transferências orçamentais solidárias) à ZE. Berlim está contente com esta união monetária low cost, que deveria chamar--se Zona Marco Alargada, pois está desenhada, essencialmente, para servir a economia alemã.

“Terceira lição: a ZE é hoje um grande pan-ótico, onde os prisioneiros e os carcereiros se vigiam mutuamente. Quem fica, perde a alma. Quem sai, arrisca o pescoço.

“ O protesto democrático de um povo empobrecido partiu-se contra o muro hegemónico ordoliberal, como os sabres da cavalaria polaca contra o aço dos blindados em 1939.


“Esperemos que Paris e Roma tenham aprendido alguma coisa, pois também chegará a sua vez”.
Enviar um comentário