sexta-feira, 26 de maio de 2017

Animem-se…o mundo não é só “Trump”, também há Jane Goodall




Esqueçam a boçalidade ignorante e arrogante de Trump e seu amigos.

Esqueçam a “lambe-botice” sabuja dos líderes europeus na cimeira da NATO perante o dono da “coisa”, que só veio dar razão à idéia que a NATO está obsoleta.

De facto a NATO está obsoleta, mas não é pelas razões apontadas por Trump.

Está obsoleta porque, desde o final da Guerra Fria, só fez asneira, principalmente no Médio Oriente e na Líbia, criando o monstro “Daesh”...

Está obsoleta porque devia ter-se tornado numa força europeia, mais independente dos Estados Unidos.

Está obsoleta porque, em vez de servir para humilhar a Rússia, criando as condições para a criação do “monstro” Putin, devia ter-se tornado uma força de pacificação de toda a Europa.

Está obsoleta porque continua a  revelar falta de coragem para pôr um outro monstro que vive no  seu seio, o “quase ditador” Turco Erdogan, no seu lugar.

Está obsoleta porque devia ter-se tornado uma força ao serviço da humanidade e da defesa dos direitos humanos, controlada pela ONU, e não pelos falcões das negociatas do armamento.

Nesta visita que acentuou o monstro “trumpista” que o mundo tem entre mãos, que incluiu uma grande negociata de armamento com a Arábia Saudita que vai reforçar o poder do terrorismo jhiadista, apenas um homem, quase solitário, pôs o “monstro” no lugar.

Esse homem foi o Papa Francisco que ainda por cima respondeu ao cinismo ignorante do “monstro” com uma resposta adequada ao que este representa, oferecendo-lhe as suas encíclicas sobre a paz e a defesa do ambiente, exactamente os dois temas que tornam Trump um homem perigoso

No meio de uma semana marcada pelo horror de Manchester e pelo horror de Trump, Portugal foi mais uma vez excepção, tendo sido visitado por uma mulher como Jane Goodall.

Jane Goodall é um exemplo de humanidade, de conhecimento, de curiosidade sobre a vida, de humildade, mostrando como os seres vivos são muitas vezes mais humanos do que os homens ou como os homens não estão assim tão afastados da selva.

Para quem lida todos os dias com animais não se surpreende com as conclusões de Jane Goodall sobre o comportamento animal, sobre as capacidades “humanas” que estes nos revelam todos os dias.

Enquanto alguns, cada vez mais, procuram todos os meios para destruir o ambiente, sem respeito pelas outras espécies,  nem respeito pela  humanidade, outros, felizmente ainda muitos, como Jane Goodall, manifestam-se todos os dias em prol da preservação doplaneta e de todos os seres vivos que o habitam.

É reconfortante que existam pessoas como o Papa Francisco ou Jane Goodall no meio desta verdadeira “selva” em que se está a tornar-se a humanidade.

Sem comentários: