terça-feira, 18 de novembro de 2014

Os Vistos Gold limpam mais branco.


O escândalo de corrupção que agora estalou à volta dos Vistos Gold só pode causar admiração aos incautos ou distraídos.

Mais tarde ou mais cedo o ”espírito da coisa” ía desembocar num escândalo com estas dimensões.

A idéia dos Vistos Gold é, à partida, imoral, ao distinguir emigrantes de primeira de emigrantes de segunda.

Quando vemos o desespero diário dos emigrantes pobres que procuram atravessar o mediterrâneo e a facilidade com que milionários feitos à pressa, muitas vezes à custa da miséria que causam nos países de origem desses pobre emigrantes, conseguem tratamento diferenciado por parte da Europa de Schengen, não nos podemos deixar de indignar…mas isso somos nós que devemos ser “conservadores” e  de espírito fechado à “modernidade” e ao “mundo global em constante mudança”.

À chegada, o resultado da aplicação desses vistos só podia ser o de um mecanismo legal de lavar dinheiro sujo ou obtido de forma indigna, acabando por alimentar a ganância de gente com poder de decidir sobre a sua atribuição.

A idéia dos Vistos Gold não é nova nem única na Europa, uma Europa dominada cada vez mais pela grande corrupção ética, mas legal, do sistema financeiro (tal como se vê pelo caso do “Luxleaks”).

Agora que o escândalo estalou há três questões que eu, como cidadão, gostaria de ver respondidas : quem lucrou com esse esquema? Quantos empregos foram criados? Qual a origem desse dinheiro?.

…e já agora que, pelo menos desta vez, a justiça funcione. 

Sem comentários: