sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

TRUMP : A Presidência de Todos os Perigos


Com a tomada de posse de Donald Trump abre-se uma nova era, totalmente imprevisível.

As ideias defendidas por Trump e as escolhas que tem feito para cargos da administração norte-americana não pressagiam nada de bom e positivo.

Estivéssemos a falar de países como a Hungria, a Polónia, a Turquia, a Síria , a Arábia Saudita ou a Coreia do Norte, governados por gente do “género” de Trump, nas suas mais variadas “versões”, e o problema seria, apesar de tudo, menos grave, por ser mais localizado.

Mas estamos a falar dos Estados Unidos, ainda a maior potência mundial, pelo menos a nível militar, cujas decisões têm um impacto global, tanto na economia como na área do ambiente.

Para mim é mesmo aquilo que Trump pensa das alterações climatéricas que se revela mais preocupante, porque as decisões erradas nesta área vão ter consequências, não só para toda a humanidade, mas para várias gerações, senão mesmo para o futuro da sobrevivência da própria humanidade.

Depois, a legitimação do discurso do ódio e da intolerância por parte de Trump, vai abrir as portas e reforçar a influência de movimentos xenófobos e racistas, um pouco por todo o mundo, especialmente na Europa, já fragilizada por responsabilidade própria.

A aliança com Putin e as provocações à China revelam-se igualmente preocupantes, primeiro porque Putin, um político muito mais inteligente que Trump, vai ganhar maior influência mundial, colocando em risco equilíbrios estratégicos e podendo fomentar graves conflitos locais que podem incendiar toda a Europa, depois porque uma China acossada pode arrastar o ocidente para a falência financeira  e para uma crise económico-social de consequências trágicas.

Infelizmente não encontramos na União Europeia uma alternativa credível, solidária e humana, capaz de fazer o contraponto político, económica, cultural e social, a um mundo dominado por Trump e Putin, e essa é outra tragédia dos nossos tempos.

Por tudo isso adivinham-se tempos terríveis para a humanidade, pelo menos nos próximos quatro anos, com a agravante de tudo o que venha a acontecer vir a ter consequências, não só para toda a humanidade, mas também para várias gerações ao longo de muito tempo.

A única certeza é que Trump vai arrastar os Estados Unidos para a decadência definitiva e a única esperança é que, se houver algum travão à sua política, ela talvez surja internamente, quando os próprios norte-americanos começarem a sentir na pela a consequência da sua política.

Costumam dizer nos Estados Unidos que “Deus salve a América”…Hoje é caso para dizer, mesmo não sendo crente, “que  Deus nos salve de Donald Trump”!!

 
Enviar um comentário