sexta-feira, 20 de julho de 2012

Aos Heróis do Dia (recordando uma crónica recente de Miguel Esteves Cardosos)


"Graças aos bombeiros

por Miguel Esteves Cardoso 

"Ainda ontem.

"Anteontem quando voltávamos para Sintra, com a serra a arder, passaram por nós dois carros dos bombeiros de Algés, que chegavam para ajudar. Estava um ciclista parado em Galamares, a ver os helicópteros e os aviões. Não se viam os bombeiros. Eram 281 a lutar. Houve dois feridos: os dois eram bombeiros.

"Falámos com alguém que viu os feridos e ficou assustado e, ao mesmo tempo, cheio de admiração. Por que se ferem os bombeiros, que conhecem tão bem os perigos do fogo? Porque arriscam tudo e acreditam que é dever deles arriscar até a vida, que muitas vezes dão, para salvar vidas que, o mais das vezes, nem se sentem ameaçadas.

"Vivemos numa época de direitos e de vontades. A noção do dever não como obrigação, mas como pagamento, necessariamente glorioso, de uma dívida que outros contraíram em nosso nome, só não desapareceu porque ainda há indivíduos teimosos e honrados, que se orgulham de pertencer a corporações que juntam as forças para proteger e defender os fracos, os velhos, os indefesos, os pobres, os vizinhos, os animais e até as pessoas estúpidas que nem sabem quanto precisam da ajuda deles.

"Mais uma vez os bombeiros salvaram a serra de Sintra, para todos os que cá vivem ou vêm. 

"Entretanto não conheço ninguém que por aqui viva que não tenha sido ajudada pelos bombeiros.

"Andam a ver se tramam os bombeiros.

"Não andem: vejam o que eles fazem. Ajudem quem nos ajuda. Hoje foi só mais um dia: mais dois que se magoaram por nossa causa".

In Público de 13 de Julho de 2012.

Sem comentários: