quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

DE QUE SE RI ESTA GENTE? :«Portugal passa a 9.º país mais pobre da UE»

De que ri esta gente?

Tiraram o futuro aos jovens deste país, convidando-os a emigrar ou ao desemprego e à precaridade.

Perseguem, sem pudor, os velhos reformados, retirando-lhes as poupanças e descontos de uma vida.

Vingam-se das decisões do tribunal Constitucional infernizando a vida dos funcionários públicos.

Convidam quem trabalha a salários miseráveis ou ao desemprego de longa duração, retirando direitos para salvar banqueiros e corruptos.

Arruínam pequenas e médias empresas, destruindo o mercado interno e perseguindo-as com impostos e regulamentos estranguladores.

Destroem as conquistas de Abril na Educação e na Saúde.

Vergam-se às alarvidades da banca e da troika criminosa.

Talvez se riam das suas próprias afirmações ou da resposta  de Passos Coelho  à sua própria pergunta: “O país vive pior ou vive melhor? Vive melhor!” (??????).

Sim há quem viva melhor, basta olhar à nossa volta para os sinais exteriores de riqueza de alguns…

O país que ”vive melhor” é o dos salários e reformas de luxo daqueles, políticos, banqueiros, (alguns)professores universitários, economistas, que aparecem todos os dias a debitar opiniões na imprensa de “referência” ou nas televisões, a defender as medidas de “ajustamento”, a retirada de direitos a quem trabalha, a redução de salários, o empobrecimento do país que “vivia acima das suas possibilidades”, as mesmas em que eles continuam a viver.

O país que “vive melhor” é o país onde aumentam as desigualdades sociais, onde o desemprego continua escandalosamente alto e cada vez mais de longa duração, onde as reformas são cada vez mais miseráveis (menos para os ex- banqueiros,ex-ministros, ex-políticos do centrão  e ex-“boys” da administração pública), onde ganhar salários por um trabalho não é condição para escapar à pobreza.

O país que “vive melhor” é o país que sobe cada vez mais na classificação dos países mais pobres da União Europeia, que conhece um dramático declínio demográfico e onde a cultura e a ciência são mero negócio.

O grave é que toda esta política criminosa de “ajustamento” se faça á sombra de elogios rasgados e alarves de uma Comissão Europeia, de um FMI e de um BCE, de um Oli Rhen, de um Durão Barroso ou de um Cavaco Silva.

…ou talvez se estejam a rir do cinismo dessa outra proposta do primeiro-ministro: um “programa para a natalidade”, quando são as mesmas políticas por si praticadas que agravam a quebra da natalidade…um programa sério par aumentar a natalidade e rejuvenescer o país implicava fazer exactamente o contrário das malfeitorias que têm feito ao país e aos portugueses, nomeadamente aos mais jovens: criar estabilidade profissional, estancar a emigração dos mais jovens e mais qualificados, melhorar as condições e os direitos do trabalho, acabar com a precarização do emprego, aumentar o rendimento salarial…

Afinal, do que se ri essa gente?

«Portugal passa a 9.º país mais pobre da UE» - Diário de Notícias(clicar para ler notícia).

Sem comentários: