terça-feira, 17 de setembro de 2013

...Também eu me esqueci de declarar...DOIS CÊNTIMOS!!!






A MINHA AVENTURA COM AS FINANÇAS


Eu sou daqueles que nunca fugiu ou pensou fugir aos impostos.


Por vezes danava-me com aquilo que me descontavam todos os meses e com as trapalhadas burocráticas para preencher a declaração anual.


Mas sempre defendi que os impostos eram para ser pagos e até que devíamos pagar os mesmos impostos do nórdicos, pois só assim podíamos alcançar um verdadeiro bem estar social.


Infelizmente já não penso tanto assim nos últimos anos, pois as finanças tornaram-se uma espécie de PIDE dos novos tempos, forte com os fracos e fraca com os fortes, perseguindo cada “tostão” em falta, mas deixando escapar milhões para paraísos fiscais.


Por outro lado, apesar de sermos neste momento um país com uma das maiores cargas fiscais da Europa, o cidadãos normal não vislumbra qualquer benefício. Ele é cortes da saúde, na educação e na segurança social.


Ele é a venda ao desbarato de sectores fundamentais para a economia de um país e sentir que todo o dinheiro  que nos sacam dos impostos vai para os especuladores financeiros ou para continuar a ajudar grande sectores privados e  o nível de vida dos parasitários boys que proliferam e se multiplicam nos vários sectores da administração central e das grandes empresas do Estado…


Pois o que se passou comigo este ano é sintomático de umas Finanças com dois pesos e duas medidas.


Para além de outras histórias que já se passaram comigo ou com amigos próximos, esta que vos vou contar raia a paranóia.


Como tinha algumas centenas de euros a declarar de uns trabalhos a recibo verde, este ano tive de preencher o IRS pela internet. Para além da obrigação para quem tinha recibo verde, também se propagandeava que quem o fizesse na net recebia o reembolso mais rapidamente.

Dentro do prazo, e com a ajuda do meu colega Hugo que é de informática, lá preenchi tudo como manda a lei.


Aí um mês depois recebia uma notificação das finanças, naquela linguagem intimidativa e burocrática que nos faz sentir uns perigosos fora-da-lei, dizendo que os valores que tinha declarado como descontos para o IRS, em relação aos valores recebidos por recibo verde, não correspondiam aos declarados.


Lá fui ver o que se passava. Ao principio pensei que a empresa que me tinha pago não havia declarado os descontos. Depois recebi a informação que esses descontos tinham sido feitos.

Lá andei  às voltas com as cópias e os rascunhos da dita declaração e tudo o que detectei foi…uma diferença de…dois cêntimo (DOIS CÊNTIMOS!...SIM ESTÃO A LER BEM…2 Cêntimos…) entre o que declarei e o que de facto paguei.


Lá vou eu a caminho das finanças, perco um dia e meio porque estava tudo numa grande confusão (foi a altura do Imposto Automóvel) e, finalmente consigo ser atendido …diga-se, em abono da verdade, que os funcionários dessa instituição sempre me trataram bem e me ajudaram em qualquer esclarecimento…


Pois bem, fui atendido, lá andou o funcionário às voltas com a minha declaração e não descobria nada… a não ser a tal diferença de …DOIS CÊNTIMOS…!!!!


Disse-me que não havia razão para me preocupar, mas que devia rectificar esse “erro” na minha página das finanças na internet. 


Fi-lo uns dias depois e quando abri a tal página já dizia que a minha situação estava normalizada…resolvi não mexer em mais nada e aguardar o reembolso..


Passou-se o mês de Julho, o mês de Agosto e…quase o mês de Setembro..


Como não recebia nada, hoje resolvi voltar às finanças…voltei a ser muito bem atendido e lá andaram à volta com a minha declaração e voltaram a referir que lá continuava a diferença de DOIS CÊNTIMOS e que, por isso, o reembolso ainda não tinha sido deferido.


Ao que parece, desta vez o assunto está resolvido, vou receber um e-mail das finanças e vou ter de aguardar mais algumas semanas (ou meses?) pelo reembolso. Só não percebi se, no fim de tudo, ainda vou pagar alguma multa..


Só lamento que o zelo pelos DOIS CÊNTIMOS mal declarados não seja igual ao zelo pelos milhões que saem do país para paraísos fiscais (só, em 2010 e 2011 foram mais de 70 mil milhões, o mesmo do empréstimo que colocou o país neste estado e, no último ano, 30 mil milhões, envolvendo 19 das 20 empresas do PSI 20!!!!).


Enfim, é o país que temos… Tanta preocupação como “Tostões” e tanta descontracção com fugas de Milhões!!!.


Sem comentários: