segunda-feira, 11 de junho de 2012

Metade dos professores portugueses sofre de stress, ansiedade e exaustão .

Só pode ficar admirado com a notícia quem não conhece a realidade das escolas.
As escolas estão cada vez mais transformadas num armazem de crianças e adolescentes, onde estas devem ser "entretidas" o maior tempo possível para que os pais possam passar cada vez mais horas a trabalhar e outros, pura e simplesmente a fazer a sua vida social...
Para os professores, que hoje ganham menos salário que há sete anos, mas passam muito mais horas na escola, com responsabilidades acrescidas, com intermináveis reuniões e trabalho burocrático digno de qualquer guichet do funcionalismo público, pouco tempo sobra para a investigação e para a valorização na sua àrea científica.
Deve-se acrescentar a toda esta carga horária, burocrática e de funções sócio-psicológicas de apoio aos alunos, imensamente desgastantes, a forma pouco digna como têm sido tratados pela generalidade da comunicação social e pelos seus comentadores de serviço, mais a imensa falta de respeito que, agravando-se no tempo da Maria de Lurdes Rodrigues, mantém-se na actualidade por parte da tutela.
Este estudo é interessante, mas só não é óbvio para os que do ensino apenas conhecem o seu lado folclórico...

Sem comentários: