segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Catalunha - A caminho da Independência?


Quem já esteve na Catalunha, em Barcelona por exemplo, sabe que aquela região é muito diferente do resto da Espanha. 

Aí nem o espanhol é falado e, quando visitei pela primeira vez Barcelona, deparei-me com um cidade que tinha uma dinâmica que nos remetia mais para a realidade nórdica do que para aquilo que era a realidade ibérica, comparativamente, por exemplo, quer com Portugal, quer com a Galiza ou Castela.
Por isso o desejo independentista da Catalunha era um desejo latente desde sempre, ainda por cima numa região que nunca simpatizou com a monarquia espanhola como regime.

O que me surpreende é a histeria que tomou conta da Comissão Europeia, chegando ao desplante de chantagear os independentistas catalães.

É que a União Europeia e o bando antidemocrático que a dirige na Comissão e no Conselho não tem qualquer moral para interferir com a escolha, que será democrática, do povo catalão.

Foi com o apoio da União Europeia, com a Alemanha à frente, que se destruiu o estado da Jugoslávia.
Foi com esse apoio que a Checoslováquia foi dividida, isto já no seio do espaço da própria UE.

Foi ainda a UE que integrou apressadamente, com custos para todos nós, os estados báltico que se libertaram da Rússia.

Alguns desses histéricos vêem agora com alivio o facto de a CyU, o partido nacionalista que tem dirigido os destinos da Catalunha, não ter obtido a maioria absoluta. “Esquecem-se”, convenientemente, que aquele partido da direita conservadora catalã perdeu essa maioria para partidos, como a Esquerda Republicana, que são ainda mais consistentes na defesa da independência. 

A fuga de votos da CyU aconteceu porque muitos, que defendem a independência, desconfiam do histórico oportunismo político da CyU e da sua sinceridade em relação à defesa da independência. 

Até porque, os grandes derrotados foram os partidos “espanhóis”, o Partido Socialista e o PP.

Por isso não percebo muito bem a histeria e as falácias daquela gente em relação à Catalunha. 

Claro que a independência daquela nação vai trazer problemas, para os quais alerta o meu amigo Manuel Monteiro (ver em baixo), com quem divirjo quase sempre nesta e noutras questões. Mas é importante reflectir sobre as suas ideias, mesmo aqueles, como eu, que são defensores do direito da Catalunha à independência.


Sem comentários: