quarta-feira, 21 de março de 2018

Ainda há espaço para celebrar a poesia?



Hoje é o Dia Mundial da Poesia.

Um dia depois de chorarmos a morte do último rinoceronte branco, símbolo de uma humanidade incapaz de preservar um planeta perdido para consumos egoístas, ainda há espaço para celebrar a poesia?

Quando se repetem imagens de atentados no Afeganistão, de crianças mortas na Síria, de perseguições à liberdade, de vidas indignas, ainda há espaço para celebrar a poesia?

Num mundo governado por nomes sem rima como Putin ou Trump, Erdogan ou Orban, Maduro ou Temer, pergunto-me se ainda há espaço para celebrar a poesia?

Numa Europa que rima com cifrão e corrupção, ainda há espaço para celebrar a poesia?

Talvez, se procurarmos a rima pela nossa janela e o verso pelos nossos sonhos.

Sim, ainda há espaço para celebrar a poesia, o último grau de esperança para  reencontrar a nossa humanidade perdida.

Sem comentários: