sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Um Poema inédito para Oscar Niemeyer por Pedro Castro Caldas



"Poema dedicado a Óscar Niemeyer, arquitecto e membro do Partido Comunista Brasileiro. Homem simples, um exemplo".

Útil que quiseste ser, na ideia que tiveste de ter
A turma era alegre, e descobriu todo o ouro que a cobriu
Livres para fazer hoje o passado de amanhã.

E é assim, quando a esperança desvanece, a revolução acontece.
Primeiro, a capital da esperança. Deu a sensação de igualdade. Mas não, só merda.
Na tua democracia, não havia nem portas, nem ruas fechadas.
Venham! Ele não construiu as cidades prós outros!

Óscar é cão sem dono, e sai!
De mal com os outros e de bem consigo, tudo o que fez foi voltar.
Voltar às paisagens mentirosas do seu Brasil.
Voltar às nuvens e montanhas que Deus fez, pensando que era Óscar.

Faz-me pensar se o Mundo não seria melhor sem os Homens?
Mas nada é importante. E a curva? É como eu a quiser!
Porquê?
Porque o amor semeou a revolta… e tudo o resto é mulher.

Pedro Miguel Caldas

Sem comentários: