quinta-feira, 10 de outubro de 2013

NO CINQUENTENÁRIO DA MORTE DE EDITH PIAF - A minha primeira memória do mundo.



A minha primeira memória de um mundo que existia para lá das casas onde vivi na infância, da escola e das ruas à volta da minha casa, foi a do dia da morte de Edith Piaf.

Embora só com o tempo me tenha apercebido disso, pois, dos acontecimento que marcaram o mundo após o meu nascimento, os mais recuados no tempo de que me conseguia lembrar eram os da morte de Piaf e do assassinato de John Kennedy ( cujo cinquentenário acontece no próximo dia 22).

Lembro-me desse momento como se fosse hoje. Brincava então na sala da casa dos meus pais, ainda hoje a mesma, o rádio estava aceso e lembro-me perfeitamente  de ouvir o locutor anunciar a morte daquela cantora imortal e de, em seguida, passar um tema de Piaf.

Só como tempo aprendi a conhecer essa voz inconfundível, mas, mais do que isso, da importância daquele momento com o da iniciação da minha consciência de um mundo para lá do meu pequeno mundo da infância.

Por isso, não podia deixar de invocar hoje o cinquentenário que hoje passa sobre a morte de Edith Piaf.

Em baixo podem ler um dossier sobre do Le Matin sobre a sua vida e AQUI uma reportagem do jornal Público sobre o mesmo tema, bem como um video raro como uma das suas actuações ao vivo:



Sem comentários: