sexta-feira, 12 de julho de 2013

O Chilique de Cavaco



De Cavaco só se esperavam duas coisas: demitir o governo e convocar eleições antecipadas ou dar posse ao “novo” governo.

A imagem de defensor da “estabilidade” apontaria mais para segunda solução.

Mas o presidente mais uma vez optou pela “solução Nim”, para agradar a gregos e troianos, sem se comprometer, e, ao mesmo tempo, passar algumas rasteira política e ajustar algumas contas pessoais .

Para quem defendia a estabilidade, a sua intervenção contribui para agravar a situação política nacional e para aprofundar o buraco em que todos nos encontramos.

Claro que o Passos Coelho pode fazer birra com o PS, o Portas pode fazer birra como o Passos Coelho e o Cavaco fazer birra com todos.

Não são eles que pagam o resultado dos desmandos e das tácticas dessa política rasteirosa.

Mais uma vez cá estarão os de sempre (funcionários públicos e trabalhadores em geral, os pensionistas, os desempregados, os contribuintes que não fogem aos impostos) para pagar e manter o nível de vida de banqueiros, políticos, economistas de “topo” e dos comentadores do costume, mesmo que a crise se agrave.

…e pelo meio da confusão os “mercados” vão metendo dinheiro ao bolso com a especulação bolsista provocada por essas atitudes irresponsáveis.

De “birra em birra”, de “chilique em chilique”, de vingança pessoal em vingança pessoal (entre Cavaco e Portas) o “povo é que paga”….

Sem comentários: