quinta-feira, 7 de julho de 2011

A Última Crónica de Maria José Nogueira Pinto



Era uma mulher de convicções firmes, uma qualidade cada vez mais raras nos nossos dias.
Era uma lutadora pelas causas em que acreditava.
Era frontal e tolerante.
Por tudo isso daqui vai o meu sincero respeito por uma SENHORA que, estando muitas vezes nos antípodas das minhas convicções e idéias, aprendi a ouvir e a ler atentamente e a respeitar.
Maria José Nogueira Pinto vai-nos fazer falta.
Deste "outro lado", um sentido ATÉ SEMPRE.
Enviar um comentário