quinta-feira, 4 de abril de 2013

MORREU FRED, O POETA DOS QUADRADINHOS




Aí pelos inícios da década de 70 a edição portuguesa do Tintin começou a editar nas suas páginas uma nova série que marcava uma ruptura com a BD mais juvenil ou formal a que os seus leitores estavam habituados.

Tratava-se da série Philémon que rompia com todas os cânones clássicos, quer na composição das pranchas, quer no onirismo dos argumentos e cenários.

Fred, o autor dessa série, nasceu em Paris em 5 de Março de 1931.Fréderic Othon Theódore Aristidés, era o seu nome de nascimento, com ascendência grega.

Começou a colaborar em vários jornais e revistas francesas nos finais da década de 50. Em 1960 foi um dos co-fundadores da irreverente revista “Hara-Kiri”, que revolucionou a banda desenhada e o humor em França.

Em 1966 inicia a sua colaboração na revista “Pilote”(1959-1989) dirigida por Goscinny, o “pai” de Astérix, criando então a personagem Philémon.

Pode dizer-se que Fred introduziu a poesia na Banda Desenhada. Pela sua originalidade foi duas vezes premiado no Festival de BD de Angoulême, em 1980 e em 1994, tendo-lhe o mesmo prestigiado Festival dedicado uma retrospectiva no ano passado.

Apesar de doente e impedido de se dedicar à sua arte, Fred deixou esboçada uma última história.

Fred faleceu ontem aos 82 anos.Podem ler AQUI os dados biográficos do autos publicados hoje no Libération

Vai-nos fazer falta um poeta-sonhador como ele …
 

Le dessinateur Fred en huit albums - Libération (clicar para ver o dossier das capas dos albuns de Fred)






 

1 comentário:

muffina disse...

nigdy nie spotkałam się z jego twórczością, ale musze przyznać, że bardzo zaciekawiło mnie to połączenie z komiksem.