sexta-feira, 14 de setembro de 2012

PELO DIREITO À INDIGNAÇÃO: Que se Lixe a Troika 15 Setembro

 

INDIGANAÇÃO

Este é o tempo de manifestar toda a nossa indignação contra os actos da Troika e do Governo que os executa.

Este é o tempo de manifestar toda a nossa indignação contra uma Troika que deve aos portugueses um pedido de desculpas pelo falhanço clamoroso das políticas que impôs aos portugueses, sem qualquer resultado no desenvolvimento  da economia, no combate ao desemprego e no combate ao deficit, situações que, pelo contrário, se têm agravado com as suas receitas.

Este é o tempo de manifestar toda a nossa indignação contra uma Troika que se aproveita das dificuldades de um país, provocadas por décadas de imposições por parte da União Europeia (EU)  de medidas que destruíram o aparelho produtivo do país, por décadas de empréstimos que ninguém na Europa ou no FMI se preocupou anteriormente em controlar e que apenas serviram para o enriquecimento de alguns e políticas de “desenvolvimento estrutural” totalmente erradas, por uma década de moeda única, aplicada à pressa, por conveniência política da própria UE e para benefício dos  sectores financeiros e da Alemanha (os únicos países europeus que recuperaram rapidamente da crise e continuam a desenvolver a sua economia e a melhorar a vida dos seus cidadãos são os países que, ou não têm euro ou, melhor ainda, nem sequer pertencem à EU…).

Este é o tempo de manifestar toda a nossa indignação contra uma Troika que impõe um empréstimo pago em prazos irracionalmente dilatados, do qual quase 20% é para ajudar os criminosos sectores financeiros que andaram todos estes anos a enganar os cidadãos e a especular com o nosso dinheiro, os quais, como principais responsáveis por esta crise, acabam premiados, e quem paga somos todos nós.
Este é o tempo de manifestar toda a nossa indignação contra uma Troika que impõe juros agiotas para o pagamento do empréstimo, ganhando milhões de euros com o negócio ( O BCE empresta ao sector financeiro a menos de 1% de juro e este empresta aos estado em dificuldades a percentagem que os ratings das empresas de notação impuserem…).

Este é o tempo de manifestar toda a nossa indignação contra uma Troika que, vendo a forma desastrosos e incompetente como este governo aplica as suas receitas, procura agora, cobardemente, demarcar-se dessas políticas.

Sendo o governo um mero executor das receitas social e economicamente desastrosas e criminosas da Troika, não está contudo isento de responsabilidades, pela forma com se tem proposto “ir além da Troika”  nos sacrifícios  exigidos de forma desigual, aproveitando-se, de forma oportunista, desta crise para destruir o Estado Social, atacar os Direitos Sociais, empobrecer drasticamente os Assalariados e roubar o futuro aos deserdados e aos jovens deste país.

Por tudo isto, amanhã vamos estar nas ruas de Lisboa.

1 comentário:

Anónimo disse...

Hoje é o dia de mostrarmos ao mundo que a Dignidade dos portugueses tem rosto, que as ruas e praças do nosso país serão calcorreadas por novos e velhos a reclamar o direito a uma existência condigna. Hoje é dia de soltarmos um grito uníssimo contra quem permite que os mais velhos e indefesos deixem os medicamentos na farmácia por não os poderem pagar. Hoje é dia de lançarmos um grito ensurcedor contra quem nada mais tem para oferecer do que mandar para o cadafalso do desemprego milhares de mãos e cérebros laboriosos. Hoje é dia de soltarmos um estrondoso grito contra quem impede um filho nosso de poder comer uma refeição completa. Hoje é dia de gritarmos juntos contra quem nos mata a esperança e empurra a emigrar. Hoje é dia de entrelaçar num grito libertador a recusa de sermos tratados como futuros indigentes. Hoje terá de ser o primeiro dia que faltava para que nos devolvam a Dignidade. Permitamo-nos todos a essa esperança para que o grito não volte a adormecer.
Ass: cidadãindignadaemãeangustiada