terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Mandela para Sempre!


São raros os líderes políticos que podem ser recordados como Mandela, conseguindo reunir um consenso unanime de pesar à sua volta.

Na minha vida apenas me recordo de outros dois nomes capazes de ombrear com Mandela: Gandhi e Martin Luther King.

A forma como outros políticos e governos se posicionaram em relação a figuras como essas, nos momentos cruciais e não à posteriori, revelam a diferença entre os grandes políticos e as figurinhas liliputianas que governam o mundo actual, como são os tristes casos "locais" de Cavaco Silva ou Durão Barroso.

Hoje todos querem colar-se á figura de Mandela, mas nenhum deles soube revelar-se diferente e inovador nas horas decisivas e essas são as verdadeiras marcas das suas atitudes políticas.

Nenhum desses liliputianos políticos teria sequer chegado aos calcanhares do nossos Aristides de Sousa Mendes, quanto mais à de um Mandela!!!

Voltando ao que interessa, Mandela deu-nos uma grande lição de luta e humildade, mostrando que é possível lutar por um ideal sem o trair e sem esquecer o essencial de qualquer luta justa que é a de defender a liberdade, mesmo a dos nossos “inimigos”. Como Mandela sempre defendeu “podemos perdoar, mas não podemos esquecer”.

Hoje a África do Sul ainda não é o país justo que Mandela almejava, mas sem a tolerância e a liberdade que ele colocou como ponto de partida, mas nunca com ponto de chegada, tudo teria sido muito pior e irreversível.

Mandela deu uma grande lição, em primeiro lugar aos regimes ditatoriais e corruptos que continuam a proliferar no continente africano, mas também às atitudes cobardes e titubeantes de muitos líderes “democráticos” e ocidentais, que tudo fizeram para, no mínimo, não beliscar o regime do apartheid.

Mandela não foi um deus, sempre assumiu as suas fraquezas humanas, mas esteve muito próximo do conceito grego de “herói”, isto é, um humano, com todos os seus defeitos, que se coloca ao nível dos deuses.

Muitos daqueles que agora, hipocritamente, o homenageiam, só vão conseguir, quanto muito, preencher uma pequena  nota de rodapé nos anais da história da humanidade, ofuscados por figuras como Mandela, que eles, diga-se em abono da verdade, nunca  compreenderam.

Num mundo, com destaque para a Europa, onde dominam na política pequenas figurinhas liliputianas, sem um rasgo de imaginação nem respeito pelos desejos dos seus povos, Mandela é, cada vez mais, uma figura de referência e uma esperança para os que acreditam  num mundo possível, mais justo e mais humano.

Vamos esperar muitas décadas até que ao mundo se revela outra figura como Mandela.
É por isso que a existência de Mandela nos vai fazer muita falta.

Foi um privilégio ter partilhado uma época onde vivemos com Mandela.

Até sempre Nelson Mandela!!

Ao minuto: “Longa vida ao espírito de Nelson Mandela” - PÚBLICO(clicar para acompanhar a cerimonia de homenagem a Mandela).

Sem comentários: