sexta-feira, 15 de julho de 2016

Nice : Mais um dia de terror - Seria bom que não nos habituássemos.


O que aconteceu ontem em Nice não pode começar a ser encarado como algo normal nas nossas vidas. Tal seria dar a vitória de mão beijada aos inimigos declarados da humanidade, como o são os monstros do Daesh ( mas não são os únicos).

De cada vez que um ataque terrorista acontece, na Europa ou em qualquer outro lugar do mundo, devemos começar a  formular muitas perguntas:

- Qual a origem desta gente e deste ódio?

- Quem criou Bin Laden e o terrorismo islâmico?

- Quem destruiu os equilíbrios do Médio Oriente, com a invasão do Iraque e a destruição da Líbia e da Síria?

- Quem agravou as tensões internacionais retirando influência à ONU?

- Quem alimentou regimes como os da Arábia Saudita ou da Turquia que financiam e armam, directa ou indirectamente, o terrorismo islâmico?

- Quem foi condescendente com a forma como os palestinianos têm sido tratados por Israel?

- Quem atirou populações inteiras para ghettos na periferia das grandes cidades europeias?

- Quem arma e financia essa gente e a sua propaganda?

-Quem faz do terrorismo um espectáculo que reforça essa propaganda?

- Quem, no ocidente, beneficia politicamente com o terror?

- Porque é que um ocidental morto por um terrorista “vale” mais que um africano ou um asiático morto nas mesmas circunstâncias?

Encontrar respostas para essas perguntas e  encontrar soluções para as respostas é meio caminho andado para combater o Daesh e o terrorismo que ele fomenta.

Talvez por isso não se encontre solução, pois as respostas põem em causa muita gente e muitos interesses ocidentais, muitos dos quais repetem, descaradamente, a sua “condenação” desses vis atentados, mas são responsáveis pelas atitudes, políticas, culturais, sociais, económicas e  financeiras que fomentam actos tão bárbaros.

Aos cidadãos resta não deixarem que estes actos se tornem um hábito, procurando responder àquelas questões e apontando o dedo aos responsáveis…

Sem comentários: