sexta-feira, 18 de março de 2016

No Brasil “a coisa está preta”…


Para quem acha que os juízes, os políticos e a comunicação social em Portugal não se recomendam ( e eu estou entre esses), devia olhar primeiro para o que se passa no Brasil.

No “país irmão”, os juízes fazem politica abertamente, divulgam escutas ilegais, enviam à descarada e cirurgicamente partes de processos a decorrer em tribunal e fazem campanha politica no facebook e nas ruas.

A única vantagem, em relação ao que se passa em Portugal, é que, pelo menos dão a cara e assumem as suas opções políticas…

Por sua vez os políticos procuram lançar o máximo de” lama” política sobre os adversários, para desviarem a atenção da “lama” que os próprios levam nas botas, sem se preocuparem com o respeito pelo funcionamento da democracia e, pelo meio, acabam a dar tiros nos pés, como foi o caso da nomeação de Lula para ministro para se safar de responder perante a lei, uma lei que levanta muitas suspeitas de imparcialidade, mas que não deixa de ser lei.

A comunicação social brasileira, mais intolerante, mais irresponsável, mais socialmente preconceituosa, mais  tablóide e mais “lambe botas” em relação ao poder financeiro  que a portuguesa , contribui para acicatar os ânimos, numa perigosa deriva anti-democrática, manipulando ao sabor das necessidade do “dono”.

Por sua vez as  manifestações de rua têm uma estranha imagem: não se vê gente de cor, é tudo gente bem engravatada e “bonita”, nada comparável às grandes  manifestações populares que tiveram lugar há dois ano, e são descaradamente dominadas pela extrema-direita golpista.

Para o Brasil só há dois caminhos a prazo: ou Dilma se impõe e convoca urgentemente eleições para a presidência, para o senado e para o parlamento, ou o “golpismo” da direita radical toma conta do Brasil.

Pobres brasileiros que, depois de duas décadas de progresso, liberdade e esperança, se vêm sujeitos a tão lamentável processo político…

Sem comentários: