quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Mais uma prova do fracasso das receitas da Comissão Europeia: OIT propõe a Portugal medidas para criar 100 mil postos de trabalho.

Foi antes de ontem divulgado um relatório da OIT (Organização Internacional do Trabalho), cujo conteúdo pode ser lido  AQUI,,e que se vem juntar a muitos outros recentes relatórios ou opiniões de economistas mundialmente consagrados, onde se desmonta o caminho imposto pela troika e pela Comissão Europeia a Portugal e a outros países da zona euro em dificuldade.

Ao que parece, tanto os nossos governantes, como a Comissão Europeia, continuam a negar a evidência do desastre para onde nos empurram com a austeridade que nos impõem, como foi hoje confirmado por Durão Barroso, que insiste na mesma receita, e continuam a ignorar todos os estudos e opiniões que criticam as políticas por eles seguidas.

Quanto muito reconhecem que cometeram "alguns pequenos erros no programa de ajuda".

Recordamos alguns desses "pequenos erros:

- em 2010 a taxa de desemprego em Portugal era de 10,8%...hoje ultrapassa os 16% e prevê-se que se aproxime dos 18% até ao final do próximo ano, situação ainda mais dramática no desemprego jovem, no desemprego qualificado e no desemprego de longa duração ;

- em 2010 o déficit era de 9,8%...três anos depois de forte austeridade, cortes salariais, aumento "brutal" de impostos, redução drástica de investimento público, privatizações e "ajudas externas" continua a haver um déficit que ronda os 6%...

- em 2010 a nossa dívida pública era de 93,3% ...este ano atingirá os 127,8%....

Se juntarmos a tudo isto os impressionantes números de emigração de jovens qualificados, que já ultrapassa o pico de 1966, o histórico decréscimo de nascimentos,  a brutal e histórica redução do PIB, ficam evidentes os "pequenos erros" do programa da troika ...

Sabemos que este governo cego, surdo e mudo, muito preocupado com os especuladores e socialmente criminosos "mercados" financeiros, mas pouco preocupado com os dramas sociais e humanos que avassalam o país, não se vão preocupar muito com este e outros relatórios, pois negar a sua receita só revelaria o fracasso da sua política em todo o seu esplendor, e isso é o que, governo, troika, Comissão Europeia, BCE e a srª Merkel estão menos interesados.

Resta aos cidadãos resistirem, por todos os meios, às malfeitorias dessa gente, nem que seja recorrendo à informação divulgada por instituições credíveis, como a OIT.

Sem comentários: