sexta-feira, 8 de julho de 2016

Portugal é o 9.º país da OCDE com os salários mais baixos

Segundo notícia hoje divulgada pelo Diário de Notícias, Portugal é o 9.º país da OCDE com os salários mais baixos, entre 35 países analisados.
 
Pode ler-se ainda nesse relatório que "em contrapartida, é um dos que têm maior carga horária".
 
Na zona euro apenas a Eslováquia, a  Estónia e a  Letónia estão pior que nós.
 
Ainda de acordo com esse relatório a "vida dos trabalhadores portugueses também não melhora se medida pelo número de horas efetivamente trabalhadas: a OCDE refere que foram 1868 horas em 2015, o que coloca Portugal no 10.º lugar numa lista de 38 países".
 
O relatório que analisa principalmente o desemprego, onde a situação portuguesa não é melhor, embora com ligeira tendência de melhoria, mostra grande preocupação com a situação do desemprego de longa duração, que se agravou nos últimos anos, e a situação  dos jovens, "sobretudo pouco qualificados - que não estudam nem se encontram em formação ou a trabalhar -," e que  "estão entre o grupo que corre maiores riscos de ser deixado permanentemente para trás no mercado de trabalho".
 
Será que os burocratas de Bruxelas, quando tomam decisões sobre Portugal, preocupados com os salários, o horário de trabalho e as leis do trabalho, leram estes relatórios?
 
Não me parece, pois relatórios como este, que se cruzam com outros que vão no mesmo sentido, mostram que as condições de trabalho são das piores na Europa, os salários são dos mais baixos e os horários dos mais pesados, tudo o contrário de alguma retórica do politburo de Bruxelas e dos seus miguéis de vasconcelos cá do país. 

Sem comentários: