domingo, 31 de outubro de 2010

Uma mulher no Planalto: Dilma é eleita presidente



Uma mulher no Planalto: Dilma é eleita presidente - Brasil - Notícia - VEJA.com (clicar na frase para ler a notícia).

O Brasil continua lindo... (e pode ser a salvação da tragédia para onde os burocratas da Europa e os seus empregados indígenas nos estão a atirar).
...e não subestimem Dilma...

BRASIL - ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS - siga a evolução na contagem dos votos

Siga AQUI,  na página do GLOBO, a evolução na contagem dos votos no BRASIL (basta ir actualizando a página).

A Fotografia da Semana - No circuito do Estoril

Uma original fotografia da autoria de  Miguel Riopa da AFP, publicada no La Vanguardia, tirada ontem na sessão de treinos (interrompida por causa do mau tempo) do Mundial de Motociclismo que se realizou este fim de semana no Autódromo do Estoril.

Também existem Boas Notícias.

Terminada a conferência de Nagoya sobre a biodiversidade, um estudo publicado na semana passada indica que os esforços de protecção às espécies têm produzido os seus frutos. Esse estudo, citado pelo Libération de hoje, revela que esse esforço permitiu afastar cerca de 50 espécies do risco de extinção que os ameaçava, ao mesmo tempo que melhorou o estado de conservação de outras 64 espécies.

Algumas dessas espécies que têm vindo a melhorar o seu estado de conservação estão na base do portefólio fotográfico que pode ser consultado AQUI.

NO PAÍS DAS MARAVILHAS DE JOSÉ SÓCRATES - 13 - Corte no abono de família pode agravar risco de pobreza infantil -

Corte no abono de família pode agravar risco de pobreza infantil - Economia - PUBLICO.PT Cclicar na frase para ler a notícia).

...e ele a ralar-se!

O Cartoon do Dia de Halloween

sábado, 30 de outubro de 2010

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

TEMPORAL EM LISBOA (Algumas fotografias)


Fotografias recolhidas dos jornais "Correio da Manhã", "Jornal de Notícias" e "Público", que dão bem uma imagem do temporal que esta manhã provocou o caos na baixa de Lisboa:





PODEM VER AQUI MAIS FOTOGRAFIAS REVELADAS NA "FOTOGALERIA" ON-LINE DO PÚBLICO.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

António Borges: "Estamos de joelhos face ao BCE”


António Borges: "Estamos de joelhos face ao BCE” - Economia - PUBLICO.PT (clicar na frase para ler a notícia)

Só agora é que descobriram?

"Estamos hoje mais perto da viabilização do Orçamento"



Segundo Pedro Silva Pereira:

"Estamos hoje mais perto da viabilização do Orçamento" - Economia - DN (clicar na frase para ler a notícia

O QUE É QUE ESTA GENTE ANDA A TOMAR NAS REUNIÕES DO CONSELHO DE MINISTROS?

Gouveia, aldeia em verso (Sintra)

Quem se deslocar entre a Ericeira e as Azenhas do Mar talvez já tenha reparado na indicação de uma aldeia chamada Gouveia, que se intitula como “aldeia em verso”.

Vale a pena fazer um pequeno desvio para visitar essa localidade da freguesia de S. João de Lampas, do concelho de Sintra e percorrer a pé as suas ruas.

A toponímia de cada rua tem uma história em verso, da autoria de um poeta popular local, já falecido, José Valentim Lourenço (1941-2002).

Aqui ficam alguns testemunhos fotográficos das originais placas toponímicas dessa aldeia:







quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O CARTOON DO DIA DE ANTÓNIO PAULO GAMA

DEBATENDO "CIVILIZADAMENTE" O FUTURO DO PAÍS


Cartoon de António Paulo Gama

CRISE POLÍTICA - As razões e as frases chave de Eduardo Catroga



Sabendo quem está do outro lado, e apesar de me situar nos antípodas políticos do economista do PSD, acredito que Eduardo Catroga é quem está a falar verdade.
Neste momento, o principal problema deste País cahama-se José Sócrates.
Com FMI ou sem FMI, com Orçamento ou sem Orçamento, com cortes nas despesas ou sem cortes nas despesas, com mais impostos ou menos impostos, Portugal só terá futuro e a crise só pode ser enfrentada quando Sócrates for apeado do poder, seja lá quem vier a seguir a ele.

Última Hora :OE: Governo e PSD falham negociações - Economia - PUBLICO.PT

OE: Governo e PSD falham negociações - Economia - PUBLICO.PT (clicar para ler a notícia).

Adeus Sócrates!...ou ainda é cedo para festejar?!

Portugal - escolher entre o "mau" e o "péssimo"!!?

Que estranho país este onde a alternativa de futuro que as nossas elites nos oferecem é entre o “mau” e o “péssimo”.

Pelo menos é assim que todos se referem ao orçamento que pretendem aprovar ou ao resultado da sua reprovação.

Para muitos este é um “mau” orçamento, mas é preciso deixá-lo passar para evitar uma situação “péssima” que seria provocada pela sua reprovação.

O “péssimo” seria a desconfiança dos “mercados” e a possível entrada do FMI em Portugal.

Contudo, duvido muito que um “mau” orçamento evite essa situação.

Este orçamento é mau porque é feito exclusivamente para agradar aos “mercados”, leia-se, aos piratas das agência de rating, ao incompetente sr. Trichet a ao seu ajudante Constâncio, à arrogante e autoritária srª Merkel e aos irresponsáveis burocratas que governam a EU.

Ao ceder aos “mercados” vai provocar o aumento da chantagem destes , que vão exigir medidas cada vez mais gravosas em termos sociais, salariais e profissionais. Basta ver o que aconteceu nos países que cederam a essa chantagem, como a Espanha, a Grécia ou a Irlanda…os “mercados” continuam a exigir-lhes cada vez mais. Só a Espanha parece resistir à chantagem (Zapatero não é Sócrates). Por essa via, tarde ou cedo teremos o FMI a bater-nos à porta, de nada tendo valido os “sacrifícios”.

Perante tudo isto, pergunto-me se o “péssimo” não seria o melhor.

Chumbando-se este orçamento, víamo-nos livres de vez de Sócrates e da sua pandilha, Cavaco tinha de mostrar o que vale e o FMI agia já.

É que quando vejo muitos dos responsáveis pela crise actual e defensores deste orçamento agitar o “papão” do FMI, pergunto-me do que é que têm medo.

Acontece que o FMI de hoje já não é o mesmo de há uns anos atrás.

Tem á sua frente um homem decente e com visão estratégica, como se comprovou pela sua intervenção na última reunião da OIT .

Visão estratégica é o que falta aos dirigentes europeus que, infelizmente,calharam na rifa à nossa geração.

A receita do FMI para a situação portuguesa não seria pior que a preconizada pelo actual orçamento, com a vantagem técnica de a aplicar aos verdadeiros responsáveis pela crise (bancos, instituições financeiras…, daí o medo destes em relação ao FMI) e apontar para o verdadeiro despesismo do Estado (obras faraónicas, privilégios da alta administração pública, benesses de institutos e fundações), obrigando a um combate coerente à corrupção e à fuga fiscal.

O FMI de hoje tem, aliás, uma visão mais “humana” do que a dos “donos” da UE, como se viu recentemente quando o FMI preconizou o alargamento dos prazos para a Grécia pagar as suas dívidas, ideia que foi duramente criticada e impedida pela srª Merkel, ou quando criticou a excessiva preocupação com o deficit por parte do BCE, que está a asfixiar a economia Europeia e a agravar o desemprego.

Claro que ao “centrão” interessa a aprovação deste mau orçamento, uns para garantirem o poder de Sócrates e dos seus “boys”, outros para garantirem a reeleição de Cavaco.

Quando a “festa” do “centrão” acabar e o FMI vier, já não haverá espaço para “meiguices”…

terça-feira, 26 de outubro de 2010

NO PAÍS DAS MARAVILHAS DE JOSÉ SÓCRATES - 10

Portugal desce para 26º lugar no Índice de Prosperidade - Economia - PUBLICO.PT (clicar na frase para ler a notícia)

O salário dos Juizes e a Demagogia habitual...

Não deixa de ser curiosa a forma como os comentadores e políticos usam e abusam da demagogia quando se fala de salários.

Ontem correu a notícia de que os Juízes portugueses, no topo da carreira, eram os “mais bem pagos da Europa”.

Depois percebeu-se que eram os mais bem pagos, comparando o seu rendimento (liquido) como o rendimento médio do país.

Na verdade, como revela hoje o Público, recebem pouco mais de metade que os seus congéneres espanhóis, menos de um terço dos irlandeses. Só os polacos e os checos recebem menos.

Convém recordar que os salários mínimos (e não estamos a falar de salários médios…) em Espanha e na Irlanda são, respectivamente, cerca do dobro e três vezes maiores que em Portugal.

O truque já tinha sido usado contra os médicos e os professores.

Na realidade, num país onde as desigualdades sociais são das maiores da Europa, onde a maior parte do trabalho é precário e mal pago, o rendimento médio é muito baixo e portanto, quem esteja em profissões de topo, que exigem mais estudos e responsabilidades, recebem muito mais que a média miserável do país.

O que não quer dizer que ganhem mais ou tenham um melhor poder de compra que os seus congéneres do resto da Europa, nomeadamente da Europa do Euro, que é com esta que nos devemos comparar.

Recordo-me que, no caso dos professores, apresentavam-se estatísticas da OCDE segundo as quais o rendimento médio dos professores do topo da carreira era maior, comparativamente com os rendimentos médios do país, do que no resto da Europa. Se não me engano, apenas éramos ultrapassados pelo…México.

Por esta lógica, os professores Mexicanos e Portugueses seriam os mais bem pagos dos países da OCDE e foi esta a mensagem que então se procurou passar para a opinião pública, para justificar o corte dos “seus privilégios”.

Contudo, o que acontecia era que, sendo a situação salarial e de qualificação, no México e em Portugal, das piores dos países analisados, o salário das profissões qualificadas era muito superior a essa média.

Na realidade, se observássemos os salários reais, um professor mexicano recebia metade do português e o português ficava muito aquém da média europeia.

Ou seja, na realidade um professor português em final de carreira ( e o mesmo se pode dizer de um médico do SNS, de um professor universitário ou de um Juiz) recebia muito menos e tinha um poder de compra mais reduzido que os seus parceiros europeus, até porque, fazendo o nosso país parte dos países do euro, o custo de vida na maior parte da Europa não é assim tão diferente.

Devemos ainda acrescentar o facto de grande parte dos rendimentos assim noticiados nunca chegar aos seus “beneficiários”, já que, professores, médicos do SNS e juízes que trabalhem no serviço público, recebem apenas cerca de 2/3 daquele rendimento. O outro terço fica retido para pagamento dos impostos e da segurança social.

Ou seja, usa-se e abusa-se da demagógica manipulação estatística para tentar justificar a retirada de direitos e os cortes salariais, em nome do combate aos “privilegiados” e às “corporações”!!

Esta é uma boa forma de tentar dividir para reinar, fomentando a inveja social dos que pouco têm contra os que têm alguma coisa, desviando a atenção do verdadeiro problema: os salários e as pensões douradas dos “boys”; a fuga maciça aos impostos por parte das profissões liberais; os escandalosos benefícios fiscais do poder financeiro; a corrupção generalizada do poder político e financeiroe que o recurso aos offshores garante.

NO PAÍS DAS MARAVILHAS DE JOSÉ SÓCRATES - 9 - Portugal permanece dos países mais corruptos da Europa

Uma "não notícia", pois só os incautos acreditariem que a situação em Portugal pudesee ser outra:

Portugal permanece dos países mais corruptos da Europa - Portugal - DN (clicar na frase para ler a notícia)

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Os "15 Minutos de Fama dos Saqueadores e dos seus Criados Propagandistas...

Economistas e professores universitários, ex-ministros da economia e das finanças, jornalistas e comentadores de economia e finanças, bancários e grandes empresários, tudo o que mexe em números, anda num afã a comentar e a escrever na televisão, na rádio ou nos jornais de referência, à boleia da crise, do deficit e do orçamento.

Andam a aproveitar bem os seus “15 minutos de fama”.

O que é preciso é aparecer e dizer umas banalidades sobre a “inevitabilidade das medidas do orçamento”, a “falta de alternativa” aos cortes nos ordenados dos funcionários públicos, a necessidade de mais cortes para “acalmar os mercados”.

Seria interessante “esmiuçar” o percurso político, académico, profissional e económico de cada uma dessas “personalidade de referência”.

Ele há professores universitários que não saem do discurso neo-liberal em defesa dos “mercados”, incapazes de ver para além dessa cassete (muitos “evoluíram” da cassete “marxista” para a “nova” cassete neo-liberal, sem pestanejar). A maior parte é responsável pela formação de uma mão cheia de políticos e gestores, cuja competência está à vista pela situação económica onde nos colocaram.

Ele há ex-políticos que andam há décadas ocupando cargos ministeriais da área das finanças e da economia que transitaram da política para as empresas públicas, ou para as privadas que beneficiaram enquanto governantes, que gozam de privilégios pelos seus cargos e de várias reformas douradas e que são os principais responsáveis pelas medidas políticas e económicas que levaram à situação actual. Aparecem agora como se não fossem responsáveis por nada, sacudindo a agua do seu capote para cima dos trabalhadores e dos “gastos sociais” do Estado.

Ele há jornalistas e comentadores, pagos a peso de ouro para nos fazerem acreditar na inevitabilidade das medidas governamentais, do aumento dos impostos e/ou da desvalorização do factor trabalho, (seguindo a velha máxima nazi segundo a qual uma mentira várias vezes repetida acabará por se tornar verdade), incapazes de verem para além da encomenda dos seus empregadores ligados ao meio financeiro que nos levou à crise actual, sempre prontos a acusarem como demagógicas as denuncias dos ordenados, privilégios (ajudas de custo…), e pensões douradas dos seus mandantes, ao mesmo tempo que defendem como inevitáveis os cortes salariais dos que trabalham.

Ele há os verdadeiros responsáveis pela crise, banqueiros, administradores de grandes empresas e grandes accionistas, sempre prontos a estender a mão às ajudas do Estado, muitos transitando do sector público para o privado, da política para as administrações, beneficiando de excepcionais condições fiscais, enfim, servindo-se do Estado e do “dinheiro dos contribuintes” desde há longa data, e que surgem agora em público como virgens pudicas a defender a falência do Estado Social e a perseguição aos “privilégios” dos Funcionários Públicos e aos “salários” de quem trabalha e paga impostos.

Talvez um dia se acabem os “15 minutos de fama”dos verdadeiros responsáveis pelo saque social a que estamos a assistir.

Até lá vamos ter de  aturar diariamente este "Pluralismo" do Pensamento Único…

domingo, 24 de outubro de 2010

Francisco Cárdenas: Os automóveis são os donos das cidades

Francisco Cárdenas: Os automóveis são os donos das cidades - Local - PUBLICO.PT (clicar na frase para ler todo o artigo).

Que o automóvel, tal como o conhecemos, não tem futuro, já não é novidade.
As soluções para essa verdadeira praga é que são um pouco mais complicadas.
Portugal enterrou os milhões da União Europeia para incentivar o uso do automóvel, deixando de investir, de modo criminoso, nos transportes públicos.
Isto, junto com a mentalidade de novo-rico que se tornou a imagem de marca da ideologia dominante nos últimos anos, segundo a qual o tipo de carro é que dá "estatuto", conduzem o país para o desastre ambiental, energético e financeiro.
Daí a importância de tomadas de posição como as de Fancisco Cárdena.

Elevador da Glória faz Hoje 125 anos



Elevador da Glória faz 125 anos e ainda surpreende - Portugal - DN (clicar na frase para ver a notícia).

ANTES:
o elevador da Glória no Início do Século XX. (Ver mais fotos antigas dos elevadores de Lisboa AQUI).

...E AGORA:


(ver mais AQUI)

O Respigo da Semana - "Declaração" de Paulo Varela Gomes


"DECLARAÇÃO

"As medidas que o Estado português se prepara para tomar não servem para nada. Passaremos anos a trabalhar para pagar a dívida, é só. Acresce que a dívida é o menor dos nossos problemas. Portugal, a Grécia, a Irlanda são apenas o elo mais fraco da cadeia, aquele que parte mais depressa. É a Europa inteira que vai entrar em crise.

"O capitalismo global localiza parte da sua produção no antigo Terceiro Mundo e este exporta para Europa mercadorias e serviços, criados lá pelos capitalistas de lá ou pelos capitalistas de cá, que são muito mais baratos do que os europeus, porque a mão-de-obra longínqua não custa nada. À medida que países como a China refinarem os seus recursos produtivos, menos viável será este modelo e ainda menos competitiva a Europa. Os capitalistas e os seus lacaios de luxo (os governos) sabem isso muito bem. O seu objectivo principal não é salvar a Europa, mas os seus investimentos e o seu alvo principal são os trabalhadores europeus com os quais querem despender o mínimo possível para poderem ganhar mais na batalha global. É por isso que o “modelo social europeu” está ameaçado, não essencialmente por causa das pirâmides etárias e outras desculpas de mau pagador. Posto isto, tenho a seguinte declaração a fazer:

"Sou professor há mais de 30 anos, 15 dos quais na universidade.

"Sou dos melhores da minha profissão e um investigador de topo na minha área. Emigraria amanhã, se não fosse velho de mais, ou reformar-me-ia imediatamente, se o Estado não me tivesse já defraudado desse direito duas vezes, rompendo contratos que tinha comigo, bem como com todos os funcionários públicos.

"Não tenho muito mais rendimentos para além do meu salário. Depois de contas rigorosamente feitas, percebi que vou ficar desprovido de 25% do meu rendimento mensal e vou provavelmente perder o único luxo que tenho, a casa que construí e onde pensei viver o resto da minha vida. Nunca fiz férias se não na Europa próxima ou na Índia (quando trabalhava lá), e sempre por pouco tempo. Há muito que não tenho outros luxos. Por exemplo: há muito que deixei de comprar livros.

"Deste modo, declaro:

1) o Estado deixou de poder contar comigo para trabalhar para além dos mínimos indispensáveis. Estou doravante em greve de zelo e em greve a todos os trabalhos extraordinários;

2) estou disponível para ajudar a construir e para integrar as redes e programas de auxílio mútuo que possam surgir no meu concelho;

3) enquanto parte de movimentos organizados colectivamente, estou pronto para deixar de pagar as dívidas à banca, fazer não um, mas vários dias de greve (desde que acompanhados pela ocupação das instalações de trabalho), ajudar a bloquear estradas, pontes, linhas de caminho-de-ferro, refinarias, cercar os edifícios representativos do Estado e as residências pessoais dos governantes, e resistir pacificamente (mas resistir) à violência do Estado.

"Gostaria de ver dezenas de milhares de compatriotas meus a fazer declarações semelhantes."

in Público, 23 de Outubro de 2010

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Ray Lema em Concerto - Torres Novas

Ray Lema em Concerto - Torres Novas Guia da Cidade Região de Lisboa

Amadora BD também celebra os cem anos da República (mas não só)

Começa hoje a 21ª edição do mais importante Festival de Banda Desenhada que se realiza em Portugal:

Amadora BD também celebra os cem anos da República (mas não só) - Artes - DN (clicar sobre a frase)

O Programa pode ser consultado AQUI.

A Foto da Semana - Prémio Internacional de Fotografia de Natureza

Foram ontem anunciados os Prémios anuais que premeiam as melhores fotografias do ano sobre a Natureza.

Esse Prémio é atribuído por iniciativa conjunta do Museu de História Natural de Londres e da Revista “Wildlife” da BBC.

O vencedor deste ano foi o autor desta fotografia, o Húngaro Bence Máté, intitulada “Uma Maravilha de Formigas”.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Prémio Sakharov para dissidente cubano Guillermo Farinas

Prémio Sakharov para dissidente cubano Guillermo Farinas - JN (Clicar na frase para ler notícia).

A propósito de Farinas lembrei-me desta frase :

" Há homens que lutam um dia e são bons, há outros que lutam um ano e são melhores, há os que lutam muitos anos e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis"
(Bertold Brecht).

Um regime como o Cubano que só se consegue afirmar pelo recurso às prisões arbitrárias não merece respeito de ninguém, principalmente de quem se situa políticamente à esquerda, como é o meu caso.

A repressão em nome do Comunismo, como acontece em Cuba, ou espalhar a miséria económica, em nome do Socialismo, como acontece em Portugal, só servem para desacreditar a esquerda e contribui para um retrocesso  social tremendo e para a afirmação da  propaganda dos neo-liberais e da direita mais conservadora.

Ser de esquerda hoje, impica renegar essas duas vias.

FOTOS DE LISBOA - 4


Revelamos aqui um conjunto de fotografias tiradas em duas visitas recentes a Lisboa, uma em Setembro, outra em Outubro.
Foram tiradas entre o Bairro Alto e o Rossio,passando pelo Chiado.