quarta-feira, 31 de março de 2010

A Obra Fotográfica de Jacob Riis em Paris

Nascido em 1849 na Dinamarca, Jacob August Riis emigrou para os Estados Unidos, onde começou a trabalhar como jornalista em 1873.

Tornou-se famoso como fotógrafo e, sendo pioneiro no uso da luz de magnésio, dedicou grande parte do seu trabalho a documentar a miséria que então se vivia no East Side da cidade de Nova Iorque.

Colaborou com o futuro presidente Theodore Roosevelt, então comissário da polícia nessa cidade em 1903, na denuncia da pobreza dos subúrbios de Nova Iorque.

Falecido em 1914, Riis foi pioneiro no fotojornalismo de causas e é, actualmente, alvo de uma importante exposição retrospectiva na Casa da Dinamarca em Paris, a decorrer até ao próximo dia 2 de Maio, graças à cedência, por parte do Museu da Cidade de Nova Iorque, de grande parte do seu espólio.

Grande parte da sua mais significativa obra fotográfica está on-line, podendo ser consultada AQUI.

Apresentamos aqui algumas das fotografias dessa exposição, a maior parte delas dos finais do século XIX, em Nova Iorque:












terça-feira, 30 de março de 2010

Quanto vale a vida de um moscovita?

Acompanho desde longa data a forma como a comunicação social, principalmente a televisiva, trata os acontecimentos mais dramáticos que acontecem por esse mundo fora.

Impressiona-me o modo diferenciado como são referidos alguns desses dramas:

- merecem uma tratamento exaustivo e pesaroso quando têm lugar em países ou envolvem cidadãos “ocidentais” ;

- merecem outro tratamento, mais distanciado e até condescendente, quando se passam entre outros povos, muitas vezes com base em mero preconceito cultural e/ou político.

O que se passou ontem em Moscovo é bem o exemplo desse tratamento diferenciado.

O que aconteceu na Rússia foi tão grave ou dramático como o que aconteceu nos atentados terroristas de Nova Iorque, Madrid ou Londres. Contudo, grande parte da comunicação social portuguesa, com especial destaque para a televisiva, tratou o assunto como uma espécie de nota de rodapé no meio das intrigas políticas da nossa capela ou do destaque dado ao mundo do futebol.

Mais grave ainda foi ler, ouvir e ver a condescendência com que os autores desses atentados foram tratados entre nós, procurando-se todo o tipo de “razões” para “explicar” esse acto hediondo.

Para essa comunicação social, todos somos iguais em direitos, mas o direito à nossa vida e à nossa dignidade é “mais igual” que o dos outros.

Para essa comunicação social, a morte de um ocidental vale mais que a de um russo, um palestiniano ou um iraquiano.

É caso para concluir que, na nossa “civilização ocidental” que tanto gosta de apregoar, e com razão, a defesa dos direitos humanos , existem dois tipos de “humanos”, nós e os outros.

Muitos desses jornalistas, quando se referem à Rússia ,parece que ainda vivem na "Guerra Fria".

Haja respeito pela dor dos moscovitas!













(Fotografias de várias Agências Internacinais)

No Primeiro Centenário da Gran Vía de Madrid

Comemora-se nestes dias o centenário do lançamento da primeira pedra da construção da “Gran Vía” de Madrid.

Artéria central da Madrid do século XX, a ela estão ligados grandes acontecimentos que marcaram a história do país vizinho e a ela afluem os principais e mais emblemáticos sítios da capital espanhola, sendo o grande centro comercial e da “movida” madrilena.

Em comemoração desse centenário o ”El Mundo” colocou à disposição dos internautas um interessante dossier sobre a história da Gran Via, que pode ser consultado AQUI.

domingo, 28 de março de 2010

Bicentenário do Nascimento de ALEXANDRE HERCULANO

Não sei se já deram por isso, mas hoje comemora-se o bicentenário do nascimento de Alexandre Herculano.

Homem do romantismo, pioneiro no romance histórico, agora tão em voga, pai da historiografia moderna portuguesa , principalmente na sua vertente medieval , responsável pela edição de importantes fontes históricas e de uma História de Portugal ainda de consulta obrigatória, pode ser igualmente considerado um dos grandes vultos da historiografia portuguesa a dar à história local a importância que, ainda hoje, muitos poucos lhe dão.

Não deixa de ser bem significativo da falta de nível cultural da maior parte das nossas elites, políticas, económicas e sociais, com destaque para os responsáveis pelo poder informativo, que é revelado pelo silêncio e esquecimento quase total a que votaram esta comemoração, não sei se por pura ignorância ou intencionalmente.

Uma outra faceta de Alexandre Herculano foi exactamente o seu papel com jornalista de divulgação, tendo sido responsável pela edição da revista “O Panorama”, que se editou entre 1837 e 1844, a qual chegou a ter tiragens de 5 mil exemplares, um número bem significativo se tivermos em conta os níveis de analfabetismo da época.

Todas as edições dessa publicação foram digitalizadas pela hemeroteca de Lisboa e podem ser consultadas AQUI.

sexta-feira, 26 de março de 2010

"CORPOS INSEPULTOS" de RICARDO LÓPES


A divulgação de fotógrafos latino-americanos pela página do Facebook da “Latin America Art” continua a surpreender-nos.

Esta semana deu-nos a conhecer a obra do chileno Ricardo Lópes, nascido em 1957, intitulada “cuerpos insepultos” , de 2010.

Ouvi algures que um bom filme tem sempre um comboio.

O meu fascínio por comboios talvez me leve a ser pouco objectivo na apreciação, mas, neste caso, pode-se dizer que um comboio, mesmo em ruínas, fotografado por um artista criativo, se torna uma obra de arte.





















quinta-feira, 25 de março de 2010

A Fotografia da Semana - Numa rua de Tóquio

Fotografia de Yuriko Nakao/Reuters, tirada numa movimentada rua de Tóquio,mostrando o movimento vertiginoso do ritmo de vida naquela cidade, em contraste com a arte de rua patente na parede ao fundo,frente à qual caminham indiferentes.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Até Bagão Félix já pensa "à esquerda" deste PS ou... como dei por mim a aplaudir Bagão Félix

Na minha idade já vi quase de tudo, na cultura, na sociedade e na política.

Contudo nunca pensei ter de aplaudir e subscrever por baixo a intervenção de hoje de Bagão Félix no “Conselho Superior” da Antena 1, nem ver esse mesmo economista, próximo do CDS a ultrapassar pela esquerda o PS de José Sócrates.

Na sua intervenção de hoje começou por desmontar a injustiça social que está consignada no PEC apresentado pelo governo, demonstrando que o seu conteúdo esvazia totalmente a identidade de um partido que defende no seu programa preocupações sociais e de alteração das injustiças sociais. Demonstrou aquilo que muita gente de esquerda já anda a ver há muito tempo que é o facto de o pragmatismo de direita de José Sócrates andar a esvaziar o Partido Socialista daquilo que resta da sua identidade de partido de esquerda.

Mas Bagão Félix foi ainda mais longe. Falou das privatizações propostas no PEC, usando, aliás com alguma graça uma definição para aquilo que se defende nesse documento que é o de “privatizar tudo o que mexe”. Também aqui Bagão Félix se colocou à esquerda deste PS, mostrando o erro em privatizar algumas empresas de importância estratégica para o país e desmontando a falta de perspectivas económicas e sociais aí reveladas, numa entrega quase abjecta do país, por via do PEC, aos grandes interesses financeiros representado, aqui segundo a minha interpretação, pelo “eixo do mal” do PEC, BCE e empresas de rating.

Claro que, perante a “ideologia” política de José Sócrates é fácil a quem tenha algum bom senso e alguma preocupação de cariz social, colocar-se à esquerda do “bando” de Sócrates.

É caso para dizer que, perante este PEC e esta “rapaziada” que manda no PS até o meu cão ladra à esquerda de José Sócrates .

terça-feira, 23 de março de 2010

Nova Fotografia Argentina - Matias Causa

Tendo por fonte o página de faceboock "Latin American Art", recolhemos um conjunto de fotografias de um jovem fotógrafo Argentino nascido em 1978, Matias Causa, deixando aqui alguns dos seus trabalhos para vossa apreciação:
"Esperando el llamado" 2008


"Repartidor" 2008


"Fuimos Pesqueros" 2007


"El Camino" 2009


"El anillo de bodas" 2009


"Los Años Dorados" 2009


"La Esquina del Pasado" 2010


"Viernes de Fria" 2009

segunda-feira, 22 de março de 2010

OBAMA - 1 ; Neoliberalismo - 0

(Foto de Jonathan Ernst/Reuters)

Teria preferido uma vitória “à Benfica”, mas não deixa de ser significativo que o presidente Obama tenha conseguido pela primeira vez, na história política norte-americana, derrotar os lobbies farmacêuticos e das seguradoras na aprovação de uma lei que torna menos dramática a situação social da saúde nesse país.

Com a aprovação dessa lei, Obama consegue retirar os Estados Unidos da pré-história dos direitos sociais.

É significativo que por cá tão “amadas” e “respeitadas” agências de rating tenham reagido ameaçando baixar a classificação dos Estados Unidos, mostrando de forma clara para quem e com que objectivos é que essas agências elaboram as suas listas.

É igualmente significativo que, enquanto na chamada “Europa Social” os seus dirigentes recuam em toda a linha com vista à destruição desse mesmo Estado Social que tanto custou a construir, sejam os Estados Unidos a dar um passo no sentido oposto.

Na guerra que, citando Jacques Julliard, “o capitalismo financeiro desencadeou contra a sociedade civilizada”, Obama colocou-se ao lado do povo e da civilização.

Pelo contrário, na Europa, usando como armas o PEC, o Banco Central Europeu e as agências de rating, os líderes europeus colocaram-se do lado dos interesses financeiros contra a civilização europeia e os seus povos.

Já nos anos 30 foram os americanos, com Roosevelt e o seu “new deal” a dar o exemplo, colocando o Estado e o capitalismo ao serviço do povo e da civilização contra o mesmo capital financeiro que então tudo tinha destruído, enquanto que a Europa teve de passar pelo holocausto nazi, pelo stalinismo e por uma guerra devastadora para perceber a importância da construção de uma Estado Social.

Será que a Europa terá de passar por uma situação idêntica para derrotar o “eixo do mal”representado pelo PEC, BCE e empresas de rating? Esperemos que não. Basta correr com as actuais lideranças neo-liberais que a governam, como a França já começou a fazer.

domingo, 21 de março de 2010

A Foto do Dia - junto a uma urna de voto em Nice

Um cão aguarda pacientemente, junto a uma urna de voto em Nice, que o seu dono vote.
Esta é uma das muitas imagens do dia cobrindo a segunda volta das eleições regionais francesas  que decorreram hoje em França.
Segundo as últimas notícias a esquerda esmagou o partido de Sarkozy, tendo vencido em 23 das 26 regiões, com 54% dos votos a nível nacional, num acto eleitoral marcado pela descida da abstenção em relação à primeira volta. Até ao momento a direita do presidente apenas conseguiu vencer na Alsácia e na Ilha de Reunião.
(Foto de Eric Gaillard/Reuters/ Irish Times)

Entre àrvores e poemas

Para os meus amigos, neste dia que é mundial da poesia e da àrvore:


"Árvore Aberta

De António Ramos Rosa


Dobrei teus pulsos a dura aranha
do teu corpo
a tua árvore
faca que rasgou a barreira do ventre
a tua face abrindo-se como um barco
amei-te tempestade de ossos e de nervos
contra ti
contra ti

exílio
pátria                            sobre o chão
e fuga

furiosa e suave lâmina animada
bebida a jactos
aranha alta e linda
enclavinhada
destilando o suor a baba o vinho a seiva
o estrépito da primavera
de uma árvore que se abre
no silêncio

sexta-feira, 19 de março de 2010

O Exemplo Francês

Da esquerda para a direita, Marie George Buffet, do PCF, Martine Aubry do PSF, e Cécili Duflot dos "verdes", ontem à saida da reunião no Café Industrie, em Paris - Foto de Philippe Wojazer/Reuters/Libératrion


Para lá do “futubolês” , do decadentista PEC, da ridícula “lei da rolha” e das trafulhice e negociatas socráticas, o mundo continua a rolar para lá do nosso provincianismo.

Em França, depois da estrondosa vitória da esquerda desse país na primeira volta das eleições regionais, foi dado um passo histórico.

A dois dias da segunda volta os três partidos e movimentos da esquerda francesa resolveram unir-se para derrotar a direita na segunda volta das regionais que se realiza domingo.

Uma primeiro acordo foi ontem assinado no café Industria, em Paris, entre as três líderes da esquerda, Martine Aubry pelo do Partido Socialista Francês, Cécile Duflot, pelos “verdes” do movimento “Europe Ecologie” e por Marie George Buffet, do Partido Comunista Francês, em nome da Frente de Esquerda liderada por este partido.

Ainda há pouco tempo os comentadores do costume, cá deste lado, auguravam um péssimo futuro à nova líder do PS francês, que derrotou a neo-liberal Ségolène Royal, esta uma espécie de José Sócrates de sais lá do sítio, derrotada nas presidenciais de 2007 por Sarkozy, mas que era a menina bonita desses comentadores e da actual liderança do PS português.

Agora Aubry conseguiu um resultado histórico nas regionais e prepara-se para assumir uma alternativa de esquerda a Sarkozy unindo-se sem complexos à restante esquerda.

Os resultados obtidos mostram que, quando os socialistas assumem, sem complexos, uma postura de esquerda, os resultados surgem.

Um exemplo para o que resta da esquerda no PS. É que, depois do “furacão” Sócrates, os socialistas portugueses devem preparar-se para uma longa travessia no deserto, da qual só se salvarão se recuperarem os seus valores de esquerda.

Claro que, se o PS francês não é, felizmente, o PS português, também o PC francês nada tem a haver com o conservadorismo ideológico do PCP, nem os “verdes” do lado de lá dos Pirenéus são os radicais “fracturantes” do Bloco de Esquerda.

Talvez fosse bom à esquerda portuguesa, aproveitando a previsível travessia do deserto, para o qual contribuiu com muita areia, aproveitar a longa viagem que se avizinha para a estudar e aprender com o exemplo francês.

quinta-feira, 18 de março de 2010

quarta-feira, 17 de março de 2010

A ironia da política nauseabunda...









No que respeita à política nacional, estes últimos dias não têm deixado de ser irónicos e ao mesmo tempo nauseabundos.

Olhando para os títulos da imprensa de hoje, não deixa de ser irónico que, ao mesmo tempo que se apregoa o PEC e as medidas nele previstas de rápido empobrecimento das classes médias e das classes médias baixas, venham a público o valor dos nauseabundos prémio dos gestores públicos.

Não se percebe, a não ser ironicamente, a simples noção de prémio, atribuído a um gestor de nomeação política para representar o interesse público, quanto mais os nauseabundos valores avançados.

Nauseabundo é que este PEC preveja uma redução de quase 30% nos subsídios de desemprego quando, ironicamente, anda a apregoar que os ricos vão pagar mais de IRS, mas, fazendo as contas, estes só vão pagar apenas mais 3% ( é essa a diferença entre o anterior escalão máximo de 42%, onde estavam incluídos, e o actual de 45% ).

Ou essa outra notícia nauseabunda que chegou hoje, segundo a qual o governo propõe um perdão fiscal às empresas envolvidas em esquemas "offshore" . Diz a notícia hoje divulgada que o “referido perdão está previsto no Orçamento do Estado por proposta do Partido Socialista, que recebeu o apoio do PSD e CDS-PP, e será aplicado às empresas que declararem as quantias de dinheiro investido no estrangeiro e pagarem uma taxa de cinco por cento”.

Ironia do destino: ontem, ao fazer compras numa loja uma velhota lamentava-se pelo facto de ter pago 25 euros de multa porque se atrasou um dia a entregar a declaração de IRS.

Irónico é que toda essas vergonhosas medidas venham de um governo que se diz socialista, o que não deixa de ser ... nauseabundo !