segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Com Fillon, Le Pen já ganhou, mesmo perdendo...

Perante uma esquerda dividida e desacreditada, tudo indica que a escolha dos franceses nas presidenciais vai-se fazer-se entre Fillon e Marine Le Pen.
 
Fillon é o "Donald Trump" francês, mais polido e bem educado.
 
Em termos sociais é ainda mais radical que Le Pen.
 
Fillon defende o despedimento de 500 mil funcionários públicos, a destruição radical do "Estado Social" francês, o aumento do horário de trabalho até ás 48 horas semanais e tem um discurso radicalmente conservador em termos culturais e sociais.
 
Com Fillon a Frente Nacional, mesmo que não ganhe as eleições, já ganhou ao impor o seu discurso xenófobo e islamofóbico, e, perante o radicalismo neoliberal de Fillon, até pode surgir como uma opção "moderada" em termos sociais.
 
Se é com candidatos como Fillon que a direita europeísta pretende combater o populismo da extrema-direita, oferecendo em troca mais austeridade, então o sonho de uma Europa solidária caminha para o desastre total.
 
Se no caso americano, apesar das discordâncias, Hillary Clinton era uma alternativa credível a Trump, o mesmo não se pode dizer em relação a Fillon em França.
 
Se fosse francês, votava em branco numa segunda volta onde se venham a  perfilar aquelas  duas sinistras figuras.
 
Entre o "diabo" da direita radical neoliberal representada por Fillon e o "diabo" da extrema-direita neofascista representada por Le Pen...venha o diabo e escolha!
 
 

Sem comentários: