terça-feira, 15 de março de 2016

FOI HÁ 40 ANOS . Quando a população de uma pequena aldeia do Oeste, Ferrel, impediu o maior desastre ecológico em Portugal

Foi no dia 15 de Março de 1976 que a população de Ferrel, uma pequena aldeia do concelho de Peniche,veio para a rua manifestar-se para impedir aquele que teria sido o maior desastre ecológico para a região e para o país, a construção de uma Central Nuclear.

O jornal Público,num artigo de Carlos Cipriano recorda AQUI essa luta e as suas consequências.

Acidentes posteriores, como o de Chernobil dez anos depois ou, mais recentemente, o de Fukushima, no Japão, há cinco anos atrás, demostraram a justeza daquela luta.

Infelizmente Portugal está rodeado por centrais nucleares espanholas,uma delas, a de Almaraz, junto ao Tejo, está a entrar numa situação, no mínimo, preocupante, já tendo esgotado o seu tempo útil de vida e sendo motivo crescente de preocupação, como recordava  recentemente um dos pioneiros da luta ecológica em Portugal, António Eloy ("Nuclear, evocação e futuro").

Hoje muitos sentem na pele que os ecologistas,que durante muito tempo, e, infelizmente ainda hoje, foram encarados por certos políticos e comentadores como uns" chatos lunáticos", têm cada vez mais razão e a sua luta é cada vez mais urgente para a salvação do planeta e da humanidade .

Bem haja o povo do Ferral que nos livrou do "mal".

Sem comentários: