quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Presidenciais - O Último Debate


Teve ontem lugar no primeiro canal da RTP o último debate que reuniu a maior parte dos candidatos presidenciais (leiam AQUI a interessante reportagem que a TSF dedicou ao tem).

Faltou Maria de Belém, por razões que se prendem com o falecimento de Almeida Santos, um dos seus mais importantes apoiantes, situação que a livrou de ser o bombo da festa, no dia em que se soube que ela foi uma das ex-deputadas que, vergonhosamente, requereu ao tribunal constitucional a revisão das famigeradas subvenções vitalícias.

O debate foi dominado por Marisa Matias, que o ganhou, a única candidata presente que soube esclarecer e cativar a audiência.

Os dois mais fortes candidatos presentes, Sampaio da Nóva e Marcelo Rebelo de Sousa, primaram pela discrição e nada acrescentaram ao que deles já se sabe.

Foi pena Sampaio da Nóvoa ter desperdiçado esta ocasião para se afirmar, de forma clara e frontal, como o grande candidato que é.

Pelo contrário, para  além de Marisa Matias, que se revelou a anos luz dos restantes candidatos, outros candidatos conseguiram afirmar-se pela positiva neste debate, como Edgar Silva pela coerência e pela frontalidade, Henrique Neto, pela sobriedade e serenidade  ou o “Tino de Rans” que, genuíno, mostrou que não é o “pateta” que muitos querem fazer dele e que até pode ser uma surpresa nesta eleições.

Pelo contrário, pela negativa, estiveram os restantes candidatos, mostrando que pouco têm para acrescentar a esta campanha.

Paulo de Morais, se teve o mérito de trazer para debate o grave problema da corrupção entre os poderosos deste país, demonstrou que  não tem nada de novo para acrescentar a essa ladainha que já começa a raiar a pura demagogia.

Jorge Sequeira, além da sua boa disposição e descontracção, pouco tem para nos mostrar e revela-se o mais irrelevante de todos os candidatos.

Mas o pior de todos foi Cândido Ferreira, boçal, convencido e arrogante, recorrendo ao ataque pessoal contra os seus adversários e que, neste debate foi reduzido à sua pequena dimensão política por todos os candidatos que o confrontaram com as mentiras que tem andado a lançar nesta campanha.

Não sei se chegou, mas gostei de acompanhar o debate e espero que contribua para reduzir a abstenção.

Sem comentários: