quarta-feira, 23 de abril de 2014

Carlos Calvet ...pintor, arquitecto e...FOTÓGRAFO:



A propósito do falecimento do artista plástico Carlos Calvet, figura marcante do movimento surrealista português, aqui recordamos uma faceta menos conhecida do pintor, a de fotógrafo, repescando aqui um texto de apresentação da sua obra nesta àrea, que encontrámos no site do Instituto Português de Fotografia:

(sobre o seu trabalho como artista plástico, podem ler mais AQUI).

"Carlos Frederico Calvet nasceu em Lisboa em 1928 e faleceu a 21 de abril de 2014. Estudou arquitectura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa e na Escola Superior de Belas-Artes do Porto, onde se licenciou em 1957. 


"Iniciou a prática da fotografia na companhia de Sena da Silva, Gérard Castello Lopes e de seu irmão Nuno Calvet. De entre os vários trabalhos de fotografia de arquitectura e de viagens, ressalta uma pequena reportagem que realizou sobre a chegada da Rainha de Inglaterra a Lisboa, em 1957.

"Com Mário Cesariny e António Real colaborou na realização de pequenos filmes de atmosfera surrealista. 

"Em 1970, realizou uma reportagem fotográfica sobre a zona ribeirinha de Lisboa, sob a direcção de Formozinho Sanches, no âmbito do Estudo de integração urbana das zonas adjacentes a Praça do Comércio. 

"A partir de 1981 interrompeu a sua actividade nos campos da arquitectura e da fotografia para se dedicar à pintura a tempo inteiro.

"Realizou ilustrações para livros e executou painéis murais para o átrio de um edifício hospitalar. Expôs pintura, regularmente, desde 1947. Participou em dezenas de exposições individuais e colectivas em Portugal e no Estrangeiro, tendo sido premiado em 1968 e 1984. Está representado em diversas colecções particulares de várias instituições. Publicou estudos e redigiu artigos de pesquisa sobre geometria e simbolismo.

"A primeira câmara que teve aos doze anos foi uma Kodak, usando posteriormente uma Agfa Clac e mais tarde uma Leica, que trazia a objectiva Elmar 50".







Sem comentários: