quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

No Dia Mundial da Rádio - A Minha Memória do tempo da Rádio:


Comemorando-se hoje o dia mundial da rádio, recordo o meio de comunicação que mais me seduziu ao longo dos tempos.

Pertenço à primeira geração de portugueses que conheceram a televisão, mas a rádio foi sempre uma presença mais assíduo nos dias da infância e da juventude.

Foi através da rádio que segui os primeiros acontecimentos nacionais e internacionais, desportivos, culturais e musicais, de que me lembro.

Já aqui escrevi que foi ao ouvir rádio que soube do assalto ao comboio correio na Inglaterra, um dos mais rocambolescos assaltos de sempre, no verão de 1963, ou da morte de Edith Piaf, em Setembro desse anos, e do assassinato de Kennedy, em Novembro.

Foram as primeiras notícias do mundo de que me lembro.

Apesar de ter televisão em casa desde muito novo, esta só iniciava a sua emissão no início da noite, e assim era através da companhia de um rádio aceso na sala que íamos brincando, fazendo os trabalhos de casa e conversando em família.

Lembro-me dos noticiários da Emissora Nacional ou dos Parodiantes de Lisboa no Rádio Clube Português que nos acompanhavam à hora do almoço em família, base de muitas conversas e comentários sobre o mundo e a vida.

Foi ainda através da rádio que todos seguimos avidamente as notícias do 25 de Abril.

O rádio portátil a pilhas veio revolucionar o meio, permitindo transportar a musica e os acontecimentos do mundo para toda a parte.

Depois de Abril acompanhei as emissões do Rádio Clube Português em FM, que foi onde muitos da minha geração tiveram contacto com a história do rock e do pop, descobrindo as musicas que passaram pelas nossas vidas.

Tive o privilégio de ter conhecido por dentro os míticos estúdios do antigo Rádio Clube Português, pois um projecto meu foi seleccionado para uma hora de programação num programa do José Nuno Martins, isto no inicio da década de 80, tendo conhecido na ocasião outro mítico nome da rádio, o João David Nunes.

Pouco tempo depois envolvi-me nos projectos de lançamento das rádios locais, andando de antena na mão, com microfone e gira-discos, com um grupo de amigos, de casa em casa, a fazer as primeiras emissões de rádio pirata, actividade formalizada depois em projectos como a Rádio Extremadura e a Rádio Oeste, ao longo de mais de dez anos, acompanhando ainda, por afinidade pessoal, o projecto da TSF, tendo conhecido os primeiros estúdios e alguns dos históricos dessa rádio.

Ainda hoje prefiro a companhia da rádio à televisão.

Actualmente não começo o dia sem ouvir as notícias na Antena 1, aquele que é actualmente o meu projecto de rádio preferido.

Apesar de todas as ameaças, nem o vídeo, nem os novos meios de comunicação conseguiram “matar” o prazer de ouvir rádio.

Sem comentários: