quarta-feira, 10 de outubro de 2012

ANTES PROSTITUTAS QUE SACANAS SEM LEI




Há uma velha máxima popular, muito usadas em épocas como esta, que apela (…em versão soft, porque tenho leitores mais novos) : “Prostitutas ao poder que os filhos já lá estão”!.

Contudo, a credibilidade da classe política tem descido tão baixo, que até as prostitutas, as verdadeiras, já se manifestam contra essa velha máxima que as pretende ligar à paternidade dos políticos.

De facto, depois de se governar em permanente aldrabice, como aconteceu com José Sócrates, governa-se agora em permanente sacanice.

Para além das bocas sacanas com que os actuais políticos nos têm brindado (ele é o convite à emigração dos jovens, ao desemprego como “oportunidade”, a acusação de sermos as cigarras que não deixamos as “formiguinhas” do governo executar as suas “sábias” decisões, o apelidar os nossos empresários que produzem e trabalham de “ignorantes” ou o aparecido Relvas tentar relacionar o aumento de impostos com a manutenção dos empregos de Funcionários Públicos, tentando reforçar uma máxima destes sacanas sem lei que nos governam, que tenta lançar os portugueses contra  os Funcionários Públicos, transformados nos “judeus” do século XXI ….), assessorados, não só por uns inexperientes e ignorantes  putos de vinte anos, mas, principalmente, por uma mão cheia de economistas, comentadores e professores universitários que todos os dias vêm para a comunicação social reforçar o direito à sacanice dessa gente, para além dessas, temos ainda outras sacanices mais concretas contra os cidadãos deste país:  ele é as negociações em segredo nas costas dos portugueses com a troika e a Comissão Europeia; ele é o aproveitamento da crise, pela qual eles e a sua ideologia são os principais responsáveis, para ir “além da troika” e destruir o nosso frágil Estado Social, os direitos sociais, o direito à saúde e o direito à educação; ele é agora, soube-se hoje, a retroactividade das novas regras para as reformas já pedidas,  ele é o aumento, sem fim ou finalidade anunciados, aos impostos sobre os que trabalham e produzem; ele é o permanente desrespeito pela Constituição, pela lei e pela palavra e compromissos que um verdadeiro Estado de Direito devia honrar .

E tudo isso é possível porque temos um Presidente da República que não cumpre as suas funções, das quais se destaca  fazer cumprir a lei e a Constituição, assinando por baixo, sem hesitações, apenas com uma inconsequente boca aqui ou acolá, todas as sacanices e  enormidades  que saem das cabecinhas dos nossos governantes, talvez porque a sua decisão esteja maniatada pela sua ligação aos caso BPN.

É caso para dizer que agora, de facto, somos governados por sacanas sem lei… e deixem de ofender as prostitutas!

Sem comentários: