segunda-feira, 18 de junho de 2012

ELEIÇÕES EM FRANÇA - A ÚLTIMA OPORTUNIDADE DA SOCIAL DEMOCRACIA?



Invertendo a maré conservadora que tem varrido a Europa e em muito tem contribuído para destruir o modelo de solidariedade europeia, o encerramento do ciclo eleitoral francês com a as eleições legislativas de ontem, confirmou a esmagadora vitória do Partido Socialista Francês, que prometa impor uma mudança na política da União Europeia.

Veremos se Hollande consegue substituir o “tratado de Versalhes” imposto pela srª Merkel por um novo “Plano Marshall”…

Uma das boas notícias da noite eleitoral de ontem foi o facto de a extrema-direita, apesar de ter regressado ao parlamento, não conseguiu a representatividade que se temia.

A outra boa notícia foi a não eleição de Ségolène Royal, uma espécie de “José Sócrates de sais” que representa tudo aquilo que de pior tem o PSF.

Agora cá estaremos para ver se o governo socialistas vai ser o último estertor da “terceira via” blairista, dominada pelos “cantos da sereia” neo-liberal, que tanto contribuiu para desacredita a esquerda socialista e democrática nos último anos, traindo os seus ideais e a sua base social de apoio, com os resultados que estamos a pagar, situação que, a confirmar-se, será trágica para a Europa, ou se esta vitória do PSF anuncia uma nova e renovada atitude da social-democracia europeia, retomando os seus ideais de igualdade e justiça social que foram postas em prática apenas nos países nórdicos e abandonados no resto da Europa.

O que está em causa em França é a última oportunidade da social democracia para se regenerar dos erros do passado e se livrar das sombras incómodas de um Blair ou de um Sócrates…

Sem comentários: