quarta-feira, 21 de março de 2012

Faço Greve...mas...

Mais uma vez vou fazer Greve.

…Mas…

…Penso que esta forma de luta se começa a esgotar.

Não que não existam razões mais que suficientes para desencadear esta e outras formas de luta…

…mas as dúvidas assaltam-me quando sei que a Greve Geral agora convocada deixa muita gente de fora:

- em primeiro lugar, a UGT…mas neste caso pode-se afirmar…problema dela…

- em segundo lugar, e esta situação é mais grave, deixa de fora muitos precários que não podem fazer greve porque podem ser despedidos pela respectiva entidade patronal, dominada ainda em parte por uma mentalidade "troglodita" e que se está a “marimbar” para os direitos sociais, até porque têm o poder e a lei do seu lado…

- em terceiro lugar, cerca de um milhão de desempregados não vai contar para esta luta…

…sobram aqueles que não correm risco de despedimento por exercerem o seu direito à greve, situação em que quase apenas se enquadram os funcionários públicos…

Contudo, muitos destes, espoliados dos seus rendimentos pela roubalheira dos “troicanos” de serviço, vão pensar duas vezes antes de fazer esta ou outra greve, porque vão ter de tirar do seu ordenado esse dia de greve…e já começam a ser muitos cortes.

Considero ainda que, ao insistir-se repetidamente nesta forma de luta, ela começa a esgotar-se.

Infelizmente, confesso que, apesar das minhas dúvidas, não consigo vislumbrar outra forma de luta alternativa e eficaz..apenas me ocorrem, para manifestar eficazmente desagrado pela actual situação, métodos mais radicais, talvez até ilegais, e a esses não queria ver ninguém a recorrer.

Por fim, penso que neste momento a única forma de luta eficaz terá de ser pensada a nível mais global, envolvendo todos os sindicatos europeus, de forma coordenada, ao mesmo tempo, com concertação de objectivos comuns.

Enquanto se continuar a marcar greves de âmbito “regional”, em datas diferentes, de costas voltados uns para os outros, a burocracia europeia, os seus esbirros locais e os “mercados” vão continuar a destruir a vida dos cidadãos europeus a seu belo prazer e o previsivel fracasso dessas greves apenas lhes vai dar mais força para continuarem a cometer os seus crimes antissociais impunemente.

Vou fazer esta greve…mas não sei se não será pela última vez…

Sem comentários: