sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Mário Monti e Ferreira Leite: As Graçolas alarves dos "nossos" líderes...

Esta crise económica tem trazido ao de cima o que de piorzinho foi produzido por dezenas de “escolas” de economia e gestão, como se revela pelas ideias que muita gente que vem do meio financeiro e económico, veicula na comunicação social, por essa Europa fora.

Comecemos pelo “gauleiter” Mário Monti, o homem de mão, na Itália, dos interesses do “eixo” Berlim-BCE-Goldman Sach, liderado pelo “reich furher” Merkel.

Exclamou o homem: “Um emprego fixo para toda a vida? Isso já não existe” e, fazendo “graça”, acrescentou: “e [o tal emprego] é monótono”.

De facto, cada vez mais por essa Europa fora, parece que o tal “emprego para toda a vida” só está acessível a esses ridículos políticos que nos governam: do governo para as “fundações”, universidades e grande empresas (de preferência do sector financeiro) públicas e/ou privadas , ou vice-versa.

Por cá também temos muitos desses espécimes. Ainda ontem ouvimos outro disparate desse tipo da boca de (…quem havia de ser!) Manuela Ferreira Leite: “os funcionários públicos são as pessoas com a pouca sorte de trabalhar numa empresa falida”.

Já não há pachorra por tanta falta de respeito pelos cidadãos e pelos seus problemas.

É caso para perguntar que tipo de droga é que as tais universidade de economia e gestão costumam ministrar nas suas aulas para produzir tal tipo gente!!?

Sem comentários: